Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Greve de guardas prisionais cancela 90% das diligências com arguidos presos

16 fev, 2024 - 07:45 • Alexandre Abrantes Neves , João Malheiro

Dirigente do SNCGP refere que, neste momento, apenas os serviços mínimos estão a ser cumpridos e que Lisboa e Porto são as regiões mais afetadas pela greve.

A+ / A-

Cerca de 90% das diligências com arguidos presos foram canceladas esta semana, devido à greve dos guardas prisionais.

O balanço é feito à Renascença por Frederico Morais, do Sindicato Nacional Corpo Guarda Prisional (SNCGP), depois de uma semana de greve que tem dificultado o transporte de presos.

Os guardas prisionais exigem um suplemento idêntico ao que foi atribuído pelo Governo à Polícia Judiciária, melhores salários e uma mudança no sistema de avaliação.

O dirigente do SNCGP refere que, neste momento, apenas os serviços mínimos estão a ser cumpridos e que Lisboa e Porto são as regiões mais afetadas pela greve.

"Estamos com uma adesão de 90% à greve e só se fizeram 10% das diligências agendadas. Os serviços mínimos são todos os julgamentos em que estejam em causa a liberdade de reclusos, extradição de reclusos e consultas médicas como hemodiálise, tuberculose, hepatite, SIDA e Covid-19", detalha.

Frederico Morais garante que, "se não houver respostas positivas do Governo", a paralisação poderá prolongar-se e até "endurecer".

Os guardas prisionais sentem que o direito à greve "é o único trunfo" que têm para ser ouvidos, porque "em diálogo, não resulta, eles prometem, colocam por escrito e não cumprem".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+