Tempo
|
A+ / A-

Alexandre Abrantes Neves


Das minhas memórias de infância, recordo com especial carinho o rádio branco que andava sempre com o meu avô, a dar a Bola Branca. Fui crescendo e a rádio nem sempre esteve lá - mas, quando entrei na licenciatura em Comunicação Social e Cultural da Universidade Católica, reencontrei-a e foi amor à primeira (ou segunda) vista.

Acabado de sair da faculdade, a Renascença saltou das minhas memórias de infância e abriu-me as portas do jornalismo, em setembro de 2023. Aqui encontrei um espaço para aprender e errar, imaginar e informar - e, acima de tudo, para ajudar todos os que nos ouvem e leem a olhar o mundo com rigor.

Nos tempos livres, habitualmente com um livro debaixo do braço, estou sempre à escuta de uma boa história - e, quem sabe, de microfone em riste e caneta na mão, pronto para lhe contar tudo.