Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Tempestade causa mil ocorrências em Portugal e vários mortos no resto da Europa

02 nov, 2023 - 16:55 • Alexandre Abrantes Neves , com redação

Norte e Centro do país são as regiões mais afetadas pelo temporal. Proteção Civil adianta que caíram 744 árvores e 197 estruturas desde as 00h00 desta quinta-feira.

A+ / A-

Mais de mil ocorrências foram registadas esta quinta-feira devido à chuva e vento forte, de acordo com o mais recente balanço da Proteção Civil sobre os efeitos da tempestade Ciáran.

“Entre as 00h00 e as 19h00, registámos no território do continente 1.059 ocorrências relacionadas com a meteorologia adversa”, disse à Renascença o comandante Paulo Santos, oficial de operações da Proteção Civil nacional.

As regiões Norte e Centro do país são as regiões mais afetadas pelo temporal e que registaram o maior número de estragos.

O comandante Paulo Santos não tem registo de nenhuma ocorrência significativa, nomeadamente de feridos, desalojados ou danos em infraestruturas críticas.

A Proteção Civil refere que caíram 744 quedas de árvores e 197 estruturas desde as 00h00 desta quinta-feira.

Um total de 3.600 operacionais estiveram envolvidos na ajuda à população.

O mau tempo, provocado pela passagem da depressão Ciáran - que traz vento por vezes forte, agitação marítima e precipitação -, arrancou o telhado de um edifício em São João da Madeira e provocou a queda de várias árvores no Porto.

A autarquia portuense foi, inclusive, obrigada a encerrar os parques urbanos, e aconselha todos os que possam a evitar o uso de viatura pessoal.

Também na região do Porto, em Matosinhos, um contentor caiu em cima de um automóvel junto ao Porto de Leixões, provocando dois feridos.

Noutros países da Europa, pelo menos sete pessoas morreram e dezenas ficaram feridas na sequência de estragos provocados pela tempestade Ciáran.

[notícia atualizada às 21h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+