32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

A+ / A-

Desmantelada principal célula de distribuição de cocaína e heroína em Bragança

16 fev, 2024 - 15:37 • Lusa

GNR apreendeu 358 doses individuais de cocaína, 190 de heroína e 10.235 euros em dinheiro.

A+ / A-

A Guarda Nacional Republica (GNR) disse esta sexta-feira ter desmantelado com a operação "Terra Branca" a principal rede de distribuição de cocaína e de heroína no distrito de Bragança.

Na quinta-feira, a GNR levou a cabo 22 buscas, 14 em casas e oito em viaturas, nos concelhos de Vila Flor e de Mirandela, concelhos a partir de onde os suspeitos atuavam.

As autoridades detiveram no decorrer da operação 11 pessoas, três mulheres e oito homens com ligações familiares, com idades entre os 28 e os 56 anos.

Hoje o Capitão Hugo Torrado, comandante do Destacamento Territorial de Mirandela, disse que as diligências decorridas na quinta-feira vieram confirmar "a tese que vinha a ser construída ao longo dos últimos dois anos de que esta é a principal célula de distribuição de cocaína e de heroína no distrito de Bragança".

A Guarda apreendeu 358 doses individuais de cocaína, 190 de heroína e 10.235 euros em dinheiro.

As autoridades acreditam que o produto estupefaciente era adquirido em grandes centros - Porto, Leiria e Setúbal. Segundo o descrito por Hugo Torrado, cada elemento do grupo tinha uma responsabilidade diferente.

"(...) Desde o processo de aquisição, de transporte ou o processo de tratamento para o tornar mais rentável o produto. Guardavam [a droga] muitas vezes enterrada quer na via pública quer em terrenos agrícolas (...)", detalhou o comandante.

Esta rede usava como pontos de atividade criminosa aldeias, sobretudo do concelho de Vila Flor, onde a investigação se tornou "mais complexa e morosa", explicou ainda Hugo Torrado.

"(...)Uma vez que são locais com ruas estreitas, onde qualquer movimentação por parte do Núcleo de Investigação Criminal seria facilmente detetada (...)", acrescentou o capitão.

Além do tráfico de estupefacientes, o grupo é suspeito dos crimes de mediação de armas de fogo e de recetação. Foram recuperados vários objetos, como ferramentas, eletrodomésticos ou bicicletas que tinham sido furtados e depois comprados pela rede.

Alguns dos produtos foram entregues aos suspeitos "como forma de pagamento no processo de transação do estupefaciente", explicou ainda Hugo Torrado.

O objetivo final era introduzir estes objetos no mercado paralelo.

Entre os detidos estão três casais e os restantes têm laços de consanguinidade. Começam esta tarde a ser ouvidos no tribunal de Vila Flor, em primeiro interrogatório judicial para ficarem a conhecer eventuais medidas de coação.

A operação contou com o reforço de várias valências da GNR da zona norte e centro do país, bem como da PSP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+