Tempo
|
A+ / A-

Desde 2011 que não havia tantos casamentos. Exponoivos tem novidades

13 out, 2023 - 15:00 • Redação

A maior feira de casamentos do país vai ter lugar a 14 e 15 de outubro, na FIL, em Lisboa, e a 21 e 22 de outubro, na Exponor, no Porto.

A+ / A-

A Exponoivos vai para a sua 29.ª edição com uma nova imagem e dinâmica. O embaixador do evento, António Brito, diz à Renascença que os objetivos da feira “passam por um lado potenciar as empresas que trabalham no mercado, e por outro possibilitar aos noivos encontrar a maior oferta possível do ponto de vista quantitativo e qualitativo”.

Em 2022, assistiu-se à retoma normal dos casamentos, juntando os que foram adiados e que não foram realizados em 2020 e 2021. De acordo com a Pordata, 2022 foi o ano em que houve o maior número de casamentos dos últimos 13 anos, onde se atingiu perto de 37 mil casamentos.

António Brito destaca o facto do número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo ter quadruplicado. “É um recorde desde a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em 2010, estávamos com 200 e poucas pessoas, em 2022 fechamos com mais de 800, o que também é significativo do ponto de vista do casamento”.

O embaixador do evento justifica o “grande sucesso” do evento na dinâmica própria e na forma de atrair e reter os noivos dentro da feira. “Quando os casais vêm à Exponoivos, queremos que encontrem tudo o que necessitam, se sintam confortáveis e consigam partir um pouco para o seu imaginário, daquilo que desejam”.

António Brito conta que a feira traz “novidades”. Para além de toda a amostra que está relacionada com o casamento - os vestidos de noiva, os fatos de homem, o aluguer de carros, os convites, a lua de mel, o catering, as quintas, os hotéis, entre outros - vão decorrer desfiles, exposições e espetáculos.

O desfile Disney é uma das novidades da programação. “É um desfile da coleção Disney, de vestidos de noiva, onde iremos tocar em todo o imaginário da Disney, da Pequena Sereia, da Tiana, da Pocahontas, da Bela Adormecida, da Branca de Neve e todos os vestidos de princesa que foram criados pela própria Disney”.

Ao mesmo tempo, vai ser apresentada a exposição mais pequena do mundo de ouro e joalharia.

A média do número de visitantes no ano passado rondou os 22 mil visitantes, números que António Brito espera atingir este ano também. “Vamos ver o que acontece. As expectativas são, sem dúvida, positivas”.

“Os noivos são pessoas informadas e, portanto, muitos deles já sabem o que vêm à procura. Já procuraram na internet e muitos deles já vêm fechar negócios”, diz. Neste sentido, a feira permite o contacto direto com os fornecedores, “coisa que, logicamente, a internet ainda não permite”.

Nos últimos estudos que a Exponoivos fez cerca de 70% do volume que os casamentos geram em Portugal, provém da feira e do pós-feira. “Este mercado gera quase 900 mil euros. O nosso evento, direta e indiretamente, gera à volta de 700 mil euros através dos contactos que foram feitos na feira ou eventualmente dos negócios que foram feitos pós-feira”.

A Exponoivos, que cita um estudo, refere que 70% do dinheiro que o mercado dos casamentos em Portugal faz por ano provém do evento, tanto durante a feira como em contactos pós-feira.

António Brito recorda que a pandemia "afetou todos os negócios e, principalmente, a dos eventos. Tivemos que estar paralisados quase dois anos” e foi registado uma quebra no número de casamentos.

A Exponoivos tentou que os casamentos fossem realizados de forma segura. Conseguiram mas, em 2020, atingiram apenas os 18 mil.

Os bilhetes para o evento já estão à venda em formato online. Vai ser possível também comprar bilhete em formato físico na feira. A entrada individual diária custa nove euros.

O programa completo e outras informações estão disponíveis no website oficial.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+