A+ / A-

Alfândega do Porto recebe exposição com mais de 70 obras de Banksy

13 abr, 2022 - 18:45 • Lusa

Entre as obras mais reconhecidas da exposição está a serigrafia original da série “Menina com um balão”.

A+ / A-

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto acolhe, a partir de 20 de abril, a exposição “Banksy: Genius or Vandal?” com mais de 70 obras originais do artista britânico cuja identidade continua desconhecida, anunciou a promotora.

“A exposição concebe uma imersão no misterioso universo criado por Banksy e propõe uma viagem sem precedentes através de mais de 70 obras originais”, referiu a PEV Entertainment, em comunicado.

A mostra, em exibição até 4 de setembro, é composta por peças originais, esculturas, instalações, vídeos e fotografias, provenientes de coleções particulares, sublinhou.

No entanto, esta mostra, como todas as que foram dedicadas anteriormente a Banksy, não é autorizada pelo artista, que busca defender o seu anonimato e a sua independência do sistema, reforçou a organização.

Dizendo que o iconoclasta britânico revolucionou a arte contemporânea, a promotora explicou que os visitantes irão ser recebidos por uma “impressionante instalação audiovisual” especialmente criada para esta exposição, revelando pistas sobre o “misterioso artista”, destacando as suas peças mais importantes e enquadrando a sua carreira invulgar, não sem controvérsia.

Entre as obras mais reconhecidas da exposição está a serigrafia original da série “Menina com um balão”, semelhante à recentemente destruída pelo próprio artista numa ação inédita na Sotheby´s, a leiloeira londrina, acrescentou.

A identidade de Banksy permanece um mistério, mas os seus trabalhos têm alcançado valores elevados em leilões. No entanto, as obras são vendidas à sua revelia e o artista não recebe qualquer valor das vendas.

Em 2015, o artista criou em Weston-super-Mare, uma cidade na zona costeira do oeste de Inglaterra, o parque de diversões Dismaland, uma sátira à Disneylândia, que contou com a participação mais de 40 artistas, entre os quais a portuguesa Wasted Rita.

O Dismaland Bemusement Park era apresentado, no ‘site’ oficial da iniciativa, como “um festival de arte, diversões e anarquia para principiantes”, que funcionou apenas durante cinco semanas e teve um número de entradas limitado.

Este parque de diversões incluía um castelo, um cinema, um minigolfe, uma tenda de circo e a Guerrila Island (Ilha da Guerrilha), uma celebração da arte de guerrilha, onde decorreram 'workshops' em “como ‘hackar’ painéis de publicidade”.

Na Dismaland havia também três galerias de arte e todas as sextas-feiras havia concertos, com bandas e artistas como DJ Yoda, Run The Jewels, Savages, Pussy Riot e Massive Attack.

Em 2017, apresentou, na cidade palestiniana de Belém, o "Walled Off Hotel", o "hotel com a pior vista do mundo", direta para a barreira de separação da Cisjordânia, erguida por Israel.

Os quartos estão decorados com obras de vários artistas, como Sami Musa, Dominique Petrin e o próprio Banksy.

A autenticação das obras que vai deixando em paredes um pouco por todo o mundo é feita pelo artista através da publicação de imagens no seu 'site' oficial ou na conta oficial no Instagram.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+