Tempo
|
A+ / A-

Prémio Guerra Junqueiro Lusofonia 2020 chega a Cabo Verde

24 nov, 2020 - 09:13 • Olímpia Mairos

O prémio é atribuído ao escritor e poeta cabo-verdiano Jorge Carlos Fonseca.

A+ / A-

O escritor e poeta cabo-verdiano Jorge Carlos Fonseca vai receber o Prémio Literário Guerra Junqueiro, Lusofonia 2020 no dia 27 de novembro, na cidade da Praia.

A cerimónia vai ter lugar na Biblioteca Nacional de Cabo Verde, com o apoio da Academia Cabo-Verdiana de Letras (ACL), da Sociedade Cabo-Verdiana de Autores (SOCA) e do Instituto Camões.

O evento contará com a presença de várias entidades governamentais, a par de outras individualidades da Diáspora e da Cultura Cabo-Verdiana. Daniel Spínola, Daniel Medina e Mariana Faria serão alguns dos intervenientes da sessão.

O Prémio Literário Guerra Junqueiro é promovido no âmbito do FFIL - Freixo Festival Internacional de Literatura, que se realiza desde 2017, em Freixo de Espada à Cinta.

“E com particular orgulho por ter uma ligação afetiva e efetiva ao património das Letras e da Cultura das palavras, cruzando-se de igual modo com todo o património construído por estórias, arte, memória e história das nossas comunidades na Diáspora”, assinala Maria do Céu Quintas, presidente da Câmara de Freixo de Espada à Cinta e anfitriã do Prémio Guerra Junqueiro em Portugal.

Já Avelina Ferraz, curadora do prémio, refere que o Prémio Literário Guerra Junqueiro tem o nome do “patrono do evento e resgata um dos poetas que marcaram a formação dos poetas e escritores do Séc. XX”.

Guerra Junqueiro é “um poeta com uma voz limpa, densa e profunda, que provoca, agora, encontros e transformações”, observa Avelina Ferraz.

Instituído desde 2017, em Portugal, o primeiro prémio foi atribuído a Manuel Alegre, seguindo-se Nuno Júdice, em 2018, José Jorge Letria em 2019 e em 2020, o prémio foi entregue a Ana Luísa Amaral.

Avelina Ferraz assinala que o prémio na lusofonia pretende ser “contributo para um movimento criador de uma união cultural lusófona e fazer da Literatura responsável por todos sermos cidadãos do mundo”, reitera.

Depois de Cabo Verde, o prémio será entregue no Brasil, em Juazeiro do Norte, no Ceará, em dezembro, a Sidney Rocha.

As datas de entrega do Prémio Literário Guerra Junqueiro aos outros laureados - Olinda Beja (S. Tomé e Príncipe), Tony Tcheka (Guiné-Bissau), Calane da Silva (Moçambique) e Lopito Feijóo (Angola), ainda não estão agendadas.

A presidente da autarquia de Freixo de Espada à Cinta espera que se realizem até maio de 2021, antes da próxima edição FFIL, onde serão anunciados novos vencedores.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+