Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

GUERRA ISRAEL-HAMAS

Arcebispo de Erbil no Iraque: “Peço a Deus, chega de guerra”

06 nov, 2023 - 08:14 • Olímpia Mairos

Segundo D. Bashar Warda, face à violência dos combates e ao risco de este conflito alastrar para fora da Faixa de Gaza, as populações iraquianas estão já “em alerta máximo”.

A+ / A-

O arcebispo Caldeu de Erbil, no Iraque, D. Bashar Warda, apela à paz e ao fim da guerra na Terra Santa, temendo que o conflito possa ultrapassar as fronteiras da Faixa de Gaza atingindo toda a região.

“Em nome de todo o povo e, especialmente, das minorias, que tendem a ser as mais punidas em situações de conflito, peço a Deus: chega de guerra”, implora.

Em declarações à Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), o prelado diz recear que esta instabilidade possa levar a uma diminuição ainda maior da presença cristã nas terras bíblicas iraquianas.

“Pedimos a todos os líderes e a todos os que têm influência que acalmem a situação […] Deus não permita que esta guerra vá além do que temos visto ultimamente. O acerto de contas antigas poria em perigo a coesão social em toda a região, e a situação na Síria não está ainda resolvida, nem no Iraque”, alerta.

Segundo D. Bashar Warda, face à violência dos combates e ao risco de este conflito alastrar para fora da Faixa de Gaza, as populações iraquianas estão já “em alerta máximo”.

No entender do arcebispo de Erbil, o sentimento de incerteza e medo poderá vir a arrastar ainda mais famílias cristãs para a emigração, tornando mais débil a presença da comunidade no país.

“As feridas infligidas pelo Estado Islâmico ainda não sararam”, diz, temendo que a violência que se está a verificar possa “impulsionar ainda mais a emigração, uma vez que o medo ainda está presente”.

D. Bashar Warda lembra que a ocupação jihadista da Planície de Nínive “foi há menos de dez anos”. Até 2002, o Iraque era o lar de cerca de 1,2 milhões de cristãos, mas a perseguição, a violência e a pobreza levaram à emigração em massa e, agora, restam apenas cerca de 150 mil.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+