Tempo
|
A+ / A-

JMJ. Eixo Norte-Sul deverá ser cortado "total ou parcialmente" para estacionamento de autocarros

15 jun, 2023 - 18:19 • Lusa

O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública avançou que "tudo indica que seja o Eixo Norte-Sul", estando esta solução a ser fechada.

A+ / A-

Os milhares de autocarros que vão transportar peregrinos para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) deverão ficar estacionados no Eixo Norte-Sul, em Lisboa, via que será cortada "total ou parcialmente", revelou hoje o diretor nacional da PSP.

"Em conjunto com a equipa que está a definir o plano de mobilidade já está encontrada a solução para isso [estacionamento dos autocarros]. Passará eventualmente pelo corte total ou parcial de um grande eixo viário de Lisboa", disse aos jornalistas Manuel Magina da Silva, quando questionado se já estava decidido o local onde os milhares de autocarros vão ficar estacionados durante a JMJ.

O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública avançou que "tudo indica que seja o Eixo Norte-Sul", estando esta solução a ser fechada.

Magina da Silva, que falava aos jornalistas após uma visita a dois imóveis adquiridos pelos Serviços Sociais da PSP para alojamento de polícias desta força de segurança, recordou que as competências de controlo e coordenação de toda a operação de segurança da JMJ "estão atribuídas ao secretário-geral do Sistema de Segurança Interna".

Considerado o maior acontecimento da Igreja Católica, a JMJ vai realizar-se entre 01 e 06 de agosto e são esperados cerca de 1,5 milhões de pessoas, quase três vezes a população da cidade de Lisboa, contando ainda com a presença do papa Francisco.

As principais cerimónias da jornada decorrem no Parque Tejo, a norte do Parque das Nações, na margem ribeirinha do Tejo, em terrenos dos concelhos de Lisboa e Loures.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+