Tempo
|
A+ / A-

Papa Francisco prossegue em recuperação e passa a tarde a trabalhar

14 jun, 2023 - 22:54 • Lusa

De acordo com a nota, "a equipa médica informou que o quadro clínico está a evoluir sem complicações, por isso, está a ser planeada a alta para os próximos dias".

A+ / A-

O Papa Francisco continuou esta quarta-feira a sua convalescença no Hospital Gemelli, em Roma, para tratar de uma hérnia resultante de uma cirurgia efetuada em 2021, tendo passado a tarde trabalhar, informou o Vaticano.

"Durante a tarde, o Papa Francisco continuou a trabalhar, pontuando repouso e recuperação, e dando (assim) continuidade à sua convalescença", refere um comunicado atualizado sobre a saúde do pontífice feito pelo gabinete de imprensa do Vaticano.

O Vaticano já havia comunicado que o Papa Francisco continuava a melhorar da cirurgia abdominal a que foi submetido no Hospital Gemelli, em Roma, e que teria alta do centro hospitalar nos próximos dias.

"O Papa descansou bem durante a noite", disse então o diretor de imprensa do Vaticano, Matteo Bruni, num comunicado.

De acordo com a nota, "a equipa médica informou que o quadro clínico está a evoluir sem complicações, por isso, está a ser planeada a alta [hospitalar] para os próximos dias".

"O Papa dedicou-se às suas atividades de trabalho [na manhã de hoje]. Antes do almoço, dirigiu-se à capela do seu quarto privado, onde passou um tempo em oração e recebeu a Eucaristia", acrescentou o Vaticano.

No dia 07 de junho, o Papa fez uma cirurgia abdominal de três horas com anestesia geral, que decorreu sem complicações.

Em março, Francisco esteve internado durante alguns dias no Hospital Gemelli com uma bronquite.

A saúde do Papa tem sido objeto de debate desde que este deixou claro que estaria disposto a resignar se uma doença o impedisse de fazer o seu trabalho, tal como aconteceu com o seu antecessor, Bento XVI, em 2013.

O Papa tem padecido de cataratas, dor ciática e a uma artrose no joelho direito que o obrigou a usar uma cadeira de rodas em muitas ocasiões.

Após a operação ao cólon a 04 de julho de 2021, reagiu às especulações: "Ainda estou vivo, alguns prelados queriam que eu morresse, já estavam a preparar o conclave (para eleger um sucessor) ".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+