Tempo
|
A+ / A-

Patriarca de Lisboa partilha escritos de D. Daniel Henriques

05 nov, 2022 - 14:03 • Ana Catarina André

Na homília da missa exequial do bispo auxiliar de Lisboa, que morreu esta sexta-feira, D. Manuel Clemente destacou a “riqueza espiritual” e a “verdade cristã” presente em alguns dos textos do prelado. A celebração ficou também marcada pela mensagem enviada pelo secretário de Estado do Vaticano, através da qual o Papa Francisco manifestou "grande pesar"

A+ / A-

O Cardeal-Patriarca de Lisboa sublinhou a “fecundidade tão grande” do ministério sacerdotal e episcopal do bispo auxiliar de Lisboa, D. Daniel Henriques, que morreu esta sexta-feira. Na homília da missa exequial na Sé de Lisboa, o Patriarca leu, emocionado, alguns escritos deixados pelo prelado e salientou a sua “riqueza espiritual” e a “verdade cristã por ele vivida”.

Entre os excertos que partilhou este sábado, D. Manuel Clemente destacou os que se referiam à doença oncológica que D. Daniel Henriques enfrentou nos últimos anos de vida. Num dos textos, o bispo que morreu este dia 4 de novembro, aos 56 anos, partilhava que a doença era a “missão” que Deus o convidava “a abraçar”. “Também isto me trouxe grande paz, não encarar esta doença como uma limitação no ministério episcopal, mas antes uma forma de exercer o episcopado”, escreveu.

Uma doença que, segundo o próprio, o convocou “à proximidade com quem mais sofre”,” ao testemunho e confiança na adversidade”, “à experiência da alegria inefável que nasce da esperança cristã”, e à “certeza pascal da vitória da vida sobre a morte” “Tudo isto vivido na carne macerada pela doença, para que se complete na minha carne o que falta à paixão de Cristo”, acrescentou o prelado.

No mesmo texto, D. Daniel Henriques falava ainda dos primeiros anos de vida. “Do nada que sou, desta poeira ínfima na imensidão do tempo e do espaço, olho com profunda gratidão para aquele dia 6 de maio de 1966, em que levado nos braços de meus queridos pais, fui iluminado pela graça batismal”. E contava: “Como agricultor dedicado e previdente, ó Deus, cuidaste desta semente através dos meus pais. Deste-me catequistas que ajudaram a maturar a fé e o amor à igreja preparando-me para aquele dia maravilhoso em que vos recebi na minha primeira comunhão”.

Referindo-se às palavras que acabara de D. Daniel Henriques que acabara de ler, o Patriarca de Lisboa sublinhou que as mesmas “irradiam a Páscoa de Cristo”. “Quem vive e fala assim já conhece tudo o que Deus nos oferece em Cristo, seja a nossa vida o que for e como for”, constatou.

Papa manifesta “grande pesar pela morte de D. Daniel Henriques”

A celebração ficou ainda marcada por uma mensagem do Papa Francisco, enviada através do cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano. No texto, lido no início da missa, por D. Ivo Scapolo, núncio apostólico em Portugal, refere-se que o Papa “manifesta grande pesar” pela morte do bispo auxiliar de Lisboa e “encomenda a Deus misericordioso este pastor dedicado, zeloso e bom, que agora partiu para o Céu, fazendo saber que a todos levava no coração”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+