Tempo
|
A+ / A-

“O amor que transforma” no centro da Semana Nacional da Cáritas

04 mar, 2022 - 15:42 • Ana Lisboa

De 13 a 20 de março decorre esta iniciativa que inclui o Dia Nacional da Caritas, assinalado no terceiro domingo da Quaresma. O presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana pede “amabilidade” aos portugueses.

A+ / A-

A Semana Nacional da Cáritas, iniciativa que junta toda a sua rede nacional constituída por 20 cáritas diocesanas, vai decorrer entre 13 e 20 de março, este ano com o tema "O amor que transforma".

“Evidenciar a ação da Cáritas no combate à pobreza e exclusão social", é o objetivo da iniciativa, refere o organismo no seu site.

Estão previstas em todo o país inúmeras "atividades de reflexão sobre a ação social, atividades de animação pastoral e também iniciativas de angariação de fundos, particularmente o Peditório Público Nacional, onde participam cerca de quatro mil voluntários".

Esta angariação de fundos é importante, porque se destina a apoiar "as cerca de 120 mil pessoas a quem servimos anualmente", é salientado.

O dinheiro angariado destina-se, nomeadamente, "a aumentar a capacidade de resposta", assim como a "reforçar o apoio financeiro" da instituição.

A Cáritas contribui para dar "resposta a necessidades básicas", sempre que é necessário disponibiliza um "suporte financeiro de emergência", apoia na "inserção social e empregabilidade" e na "integração de migrantes e refugiados".

D. José Traquina convida portugueses a exercitar “a amabilidade”

Para assinalar esta semana, o presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana escreveu uma mensagem que começa por recordar a pandemia em que "atravessámos um período de uma enorme solidariedade na dor, de um grande empenho no reinventar da proximidade e o cuidado com os mais frágeis".

Sublinha, mais à frente, que "cada um de vós tem consigo, passados estes meses, um saber único: a vossa experiência pessoal".

O também bispo de Santarém diz que "não ignoro a vossa preocupação acerca da sustentabilidade das respostas, mas estou certo: a vossa experiência corresponde a um saber e ao sabor do Evangelho, luz do mundo e sal da terra, que não se podem perder”.

Para D. José Traquina, "só o amor transforma. É Caritas. Só o amor tem essa força, esse dinamismo que é capaz de transformar o mundo em que vivemos numa terra de paz, num mundo de irmãos".

Chama ainda a atenção para a amabilidade, "tão discreta e tão preciosa para este tempo que vivemos".

O prelado lembra palavras do Papa Francisco, que na Encíclica Fratelli Tutti, diz que, se formos amáveis, seremos capazes de "prestar atenção, oferecer um sorriso, dizer uma palavra de estímulo, possibilitar um espaço de escuta no meio de tanta indiferença".

Em sua opinião, “este esforço, vivido dia a dia, é capaz de criar aquela convivência sadia que vence as incompreensões e evita os conflitos."

E acrescenta "o exercício da amabilidade não é um detalhe insignificante, nem uma atitude superficial ou burguesa. Dado que pressupõe estima e respeito, quando se torna cultura numa sociedade, transforma profundamente o estilo de vida, as relações sociais".

D. José Traquina termina a sua mensagem referindo que "a missão da Caritas – o amor que transforma – é animar a nossa solidariedade com a delicadeza da amabilidade, para podermos viver efetivamente a nossa vida com todos, numa só família humana".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+