Tempo
|
A+ / A-

“Zangar-se com Deus também é rezar”, diz o Papa

19 mai, 2021 - 11:25 • Aura Miguel

Francisco convida a rezar a oração dos “porquês”, perante os momentos dolorosos da vida.

A+ / A-
“Zangar-se com Deus também é rezar”, diz o Papa
“Zangar-se com Deus também é rezar”, diz o Papa

O Papa dedicou a catequese desta quarta-feira a três dificuldades que se enfrentam na oração: a distração, a aridez e a acídia, também conhecida como preguiça espiritual. Para as combater, Francisco apelou à perseverança, mesmo no meio das incertezas e agruras.

Quando surge a incompreensão ou o desalento e não se percebe onde está Deus, o Papa incentiva ao protesto. “Muitas vezes, protestar diante de Deus também é uma forma de rezar, porque às vezes o filho zanga-se com o pai e é um modo de se relacionar com ele”.

O Santo Padre garante que Deus responde sempre e deixa-nos um conselho. “Não se esqueçam da oração do ‘porquê?’. É a oração que fazem as crianças quando começam a não entender as coisas e os psicólogos chamam-lhe ‘a idade dos porquês', porque a criança pergunta ao pai: ‘Pai, porquê…? Pai, porquê…?'. Ora, quando nos zangamos um pouco com Deus estamos a atrair o coração de nosso Pai para a nossa miséria, para a nossa dificuldade, para a nossa vida”, lembrou.

“Mesmo nas nossas expressões mais duras e amargas, Ele vai recolhê-las com o amor de um pai, e vai considerá-las como um ato de fé, como uma oração.”

Para reforçar o valor da oração, independentemente das circunstâncias do dia a dia, o Santo Padre improvisou várias vezes, com episódios concretos da vida. “Muitas vezes estamos ‘em baixo’. São aqueles dias cinzentos, mas o perigo é ter o coração cinzento. Quando o ‘estar em baixo’ atinge o coração e o põe doente... é terrível”, afirmou o Papa.

“Não se pode avançar com uma aridez espiritual. O coração deve estar aberto e luminoso, para entrar a luz do Senhor. E se não entra, devemos aguardá-la, com esperança.”

No final da audiência geral deixou uma saudação aos peregrinos de língua portuguesa.

“Nestes dias de preparação para a festa de Pentecostes, peçamos ao Senhor que derrame em nós a abundância dos dons do seu Espírito, para que, firmes na oração, encontremos a força do Alto que nos torna testemunhas de Jesus até os confins da terra. Obrigado”, disse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+