Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Papa quer Jornadas da Juventude todos os anos a nível local

18 mai, 2021 - 13:33 • Aura Miguel

Para a Santa Sé, a realização da JMJ a nível local “reveste um significado de extrema importância para cada Igreja particular”,

A+ / A-

O Vaticano publicou esta terça-feira as “Orientações pastorais para a celebração da Jornada Mundial da Juventude nas Igrejas particulares”, com o objectivo de reforçar, a nível local, a importância desta ”festa da fé” protagonizada pelos jovens.

Desde que o Papa João Paulo II criou as Jornadas Mundial da Juventude (JMJ), em 1985, o ritmo deste evento tem sido trienal e realiza-se sempre num país diferente. Nos anos intermédios, em que não há encontro mundial, cada diocese é autónoma para organizar iniciativas juvenis. Até agora, essa edição local realizava-se no domingo de ramos, mas o Papa Francisco alterou a data, por conveniência pastoral, para a Solenidade do Cristo Rei.

O anúncio desta alteração foi feito a 22 de novembro de 2020, no final da missa em que a delegação portuguesa recebeu, no Vaticano, a Cruz e os símbolos da JMJ 2023. O passo seguinte surgiu hoje, com este novo documento do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida. Trata-se de um conjunto de orientação pastorais dirigidas a todas as dioceses do mundo, permitindo assim, a um maior numero de jovens, viver uma experiência local da JMJ.

“Alguns jovens, por objetivas dificuldades de estudo, de trabalho ou financeiras não têm a possibilidade de participar das celebrações internacionais de tais Jornadas, razão pela qual é bom que cada Igreja particular ofereça-lhes também a possibilidade de viver em primeira pessoa, mesmo que em nível local, uma festa da fé, um evento forte de testemunho, de comunhão e de oração análogo às edições internacionais, que marcaram profundamente a existência de tantos jovens nas mais diversas partes do mundo”, lê-se neste documento.

Para a Santa Sé, a realização da JMJ a nível local “reveste um significado de extrema importância para cada Igreja particular”, porque ajuda “a sensibilizar e a formar a comunidade eclesial no seu conjunto – leigos, sacerdotes, consagrados, famílias, adultos e idosos – para que se torne sempre mais consciente da sua missão de transmitir a fé às novas gerações.”

O documento também enuncia uma série pontos principais programáticos que devem nortear as JMJ locais - “festa da fé”, “experiência de Igreja”, “experiência missionária”, “ocasião de discernimento vocacional” e “chamamento à santidade”, como “experiência de peregrinação” e “experiência de fraternidade universal” - e convida todas as dioceses e Igrejas particulares a investirem nos jovens. O que significa, “investir no futuro da Igreja, significa promover as vocações, significa iniciar efetivamente a preparação remota das famílias de amanhã”. Sobretudo, por que se trata de “uma tarefa vital para cada Igreja local, não simplesmente uma atividade acrescentada a outras.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+