A+ / A-

Legislativas 2024. AD e Chega elegem deputados Fora da Europa

21 mar, 2024 - 00:45 • Ricardo Vieira

O socialista Augusto Santos Silva, presidente da Assembleia da República, não conseguiu ser reeleito deputado e fica fora da Assembleia da República na próxima legislatura.

A+ / A-

AD e Chega elegeram um deputado, cada, pelo círculo de Fora da Europa e o socialista Augusto Santos Silva falha a eleição, de acordo com os resultados oficiais das legislativas divulgados esta quinta-feira pela Secretaria-Geral da Administração Interna (SGMAI).

A coligação AD, formada por PSD/CDS/PPM, vence Fora da Europa com 22,9% e um total de 22.636 votos.

O Chega fica em segundo lugar, com 18,27% e 18.067 votos.

O PS é castigado e não consegue eleger Augusto Santos Silva, atual presidente da Assembleia da República. Os socialistas conseguem apenas 14,58% e um total de 14.410 votos.

"É uma derrota política e pessoal", afirmou Augusto Santos Silva, em entrevista à SIC Notícias, dizendo tratar-se do resultado do "jogo democrático".

No círculo eleitoral da Europa, Chega e PS conquistaram um deputado, cada.

O Chega venceu com 18,3% e consegue eleger um deputado (José Dias Fernandes). O PS ficou em segundo lugar, com 16,22% e um deputado (António Pisco).

A coligação AD fica em terceiro lugar, com 14,21%, e não elege qualquer parlamentar.

Fechada a contagem dos dois círculos da emigração, os partidos da coligação AD conquistam 80 deputados e o Partido Socialista 78.

O Chega quadruplica os resultados e consegue eleger 50 deputados, seguido da Iniciativa Liberal com oito.

À esquerda, o Bloco de Esquerda mantém cinco parlamentares, o PCP desce para quatro e o Livre passa de um para quatro deputados. O PAN elegeu a líder Inês Sousa Real.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+