Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

TAP. Pedro Nuno Santos assume "todas as responsabilidades" políticas

19 jan, 2024 - 12:49 • Lusa com redação

"Assumo a responsabilidade política, enquanto ministro, de tudo o que se fez na TAP e é isso que é verdadeiramente importante", diz o secretário-geral do PS.

A+ / A-

O secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, assumiu esta sexta-feira toda a responsabilidade política do que se passou na TAP, dossiê que geriu enquanto ministro das Infraestruturas.

"Eu assumo todas as responsabilidades no que diz respeito à TAP (...) Aquilo que verdadeiramente interessa do ponto de vista da responsabilização política é que eu assumo a responsabilidade política, enquanto ministro, de tudo o que se fez na TAP e é isso que é verdadeiramente importante", afirmou o socialista no final de uma visita ao CEiiA -- Centro de Engenharia e Desenvolvimento, em Matosinhos, no distrito do Porto.

Questionado pelos jornalistas sobre a notícia do jornal o SOL que , esta sexta-feira, que Pedro Nuno Santos aceitou as condições da ex-CEO da TAP Christine Ourmières-Widener de manter funções noutras empresas, e que isso ficou previsto no contrato da gestora, o dirigente socialista vincou que o contrato foi feito com equipas jurídicas das duas partes.

"O contrato é feito com as equipas jurídicas tanto da anterior CEO como da TAP, a equipa jurídica da TAP. É importante que nós tenhamos essa consciência", frisou.

Em declarações aos jornalista, a líder do Bloco de Esquerda (BE), Mariana Mortágua lembrou , esta sexta-feira, que as mais recentes informações reveladas a propósito da TAP foram abordadas durante a comissão parlamentar de inquérito à tutela e gestão da companhia aérea.

“Já ontem tive oportunidade de me pronunciar sobre a TAP. Recordo que houve uma comissão de inquérito e as notícias que saem foram todas escrutinadas e mencionadas durante a comissão de inquérito”, lembrou, esta sexta-feira, a coordenadora do BE em declarações à margem da manifestação dos trabalhadores judiciais no campus da justiça, em Lisboa.

Em reação às declarações do secretario geral do PS, o líder do Chega, André Ventura sublinhou que Pedro Nuno Santos deve “um pedido de desculpas aos portugueses”.

Em declarações as jornalistas esta sexta-feira em Braga, Ventura lembrou que “Pedro Nuno Santos autorizou uma acumulação [de cargos da ex-CEO da TAP Christine Ourmières-Widener] que, aparentemente, será ilegal e, portanto, não pode ser desresponsabilizado”. Por isso, acrescentou , deve um pedido de desculpa aos portugueses”.

Antes, o líder da Iniciativa Liberal (IL), Rui Rocha, a propósito do mesmo caso, acusou o atual secretário-geral do PS de incompetência.

A ex-presidente executiva da TAP foi exonerada por justa causa, em abril de 2023, no seguimento da polémica indemnização de meio milhão de euros à antiga administradora Alexandra Reis. O caso levou à demissão do então ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, e do seu secretário de Estado Hugo Mendes, e à constituição de uma comissão parlamentar de inquérito à gestão da companhia aérea.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    19 jan, 2024 aldeia 16:26
    Já não se ouvia uma trapalhada tão grande como esta da TAP desde o tempo do outro......o Sócrates........Ainda acha que tem condições para se candidatar a 1ºministro deste país tão sofrido pelas más politicas socialistas?

Destaques V+