Tempo
|
A+ / A-

OE 2024

"Desnorte e eleitoralismo". Miranda Sarmento acusa PS de "incoerência" com recuo no IUC

15 nov, 2023 - 10:22 • André Rodrigues

Líder parlamentar do PSD, que partilha com Eurico Brilhante Dias o debate São Bento à Sexta da Renascença, lembra que, há poucas semanas, o socialista defendeu o aumento do Imposto de Circulação para matrículas anteriores a julho de 2007. "Há pressa em cima do joelho e o PS avançou com um conjunto de propostas, muitas delas contraditórias com o que está no Orçamento do Governo", acusa Miranda Sarmento.

A+ / A-

O PSD considera que o recuo do PS em relação ao aumento do IUC para matrículas anteriores a julho de 2007 revela "desnorte absoluto" de um partido que está "em modo de campanha eleitoral e vai usar este processo orçamental para essa campanha eleitoral".

A crítica é feita pelo líder parlamentar social-democrata, Joaquim Miranda Sarmento, comentador residente do debate São Bento à Sexta, da Renascença, com Eurico Brilhante Dias, líder da bancada socialista.

O social-democrata recorda que, "há três semanas, no São Bento à Sexta, Eurico Brilhante Dias defendeu a medida de subida do IUC, dizendo que era uma medida positiva e ambientalmente responsável. Passadas três semanas, subscreve a eliminação da medida".

Miranda Sarmento fala de "pressa em cima do joelho" por parte do PS, lembrando que o PS "pediu um adiamento da hora limite de entrega das propostas para as 23h00" de ontem, porque às 18h00 - hora limite para os grupos parlamentares entregarem as propostas de alteração ao OE 2024 - "o PS não tinha uma única proposta entregue".

"Terei muita curiosidade em ver a votação, porque, uma vez que a proposta do PSD entrou primeiro, terá de ser votada primeiro. Quero ver se não teremos esta suprema ironia de o PS votar contra a proposta do PSD, para, depois, votar a favor de uma proposta exatamente igual à do PSD", refere o líder parlamentar do PSD.

Sarmento diz que "há pressa em cima do joelho e o PS avançou com um conjunto de propostas, muitas delas contraditórias com o que está no Orçamento do Governo".

"Já o PSD mantém a sua coerência. Desde o primeiro momento, foi contra a medida. Apresentamos uma proposta de alteração ao Orçamento, exatamente, para eliminar a medida", conclui.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Eleições anuais, já!
    15 nov, 2023 Portugal que sofre 11:47
    O PS pensa que nos compra com um bodo aos pobres em véspera de eleições antecipadas. Os Jotinhas, os boys e girls colocados estrategicamente em instituições redundantes e que nada fazem a não ser serem alfobres dos tais boys e girls, os que arranjaram tachos para eles e para os amigos, os que beneficiaram empresas privadas à espera duma cadeira no Conselho de administração dessas empresas, os militantes fanatizados ideologicamente, esses estão comprados à partida. O pior são os outros, os indecisos que levaram com o chumbo grosso em impostos e serviços sociais em colapso e que são logo 4,5 milhões, são eles que, se forem votar, decidem realmente as Eleições. E esses, sabem bem o que o PS fez nos anos anteriores após ter Maioria Absoluta. Não esquecem e em muitos casos, pelo menos na arrogância - Habituem-se - e na recusa em alterar o que quer que fosse, não esquecem nem perdoam. Este "Leilão de votos" à 25ª hora não vai dar ao PS nova Maioria Absoluta - "deshabituem-se"!

Destaques V+