A+ / A-

Opinião

Os traumas do PS, a execução de Lacerda Machado e outras notas sobre António Costa

11 nov, 2023 - 23:42 • Susana Madureira Martins

Opinião da editora de política da Renascença, Susana Madureira Martins.

A+ / A-

1

António Costa fez a execução pública de Lacerda Machado, ao vivo e em horário nobre. É conhecida a facilidade com que o primeiro-ministro deixa cair os mais próximos - Eduardo Cabrita sabe bem disso. Hoje, foi a vez do agora ex-melhor amigo, Diogo Lacerda Machado. O primeiro-ministro deixou ainda cair, de novo, Vitor Escária, ex-chefe de gabinete, proferindo um pedido de desculpas em direto.

2

António Costa frisou que Lacerda Machado não estava mandatado para lidar em nome do Governo e do primeiro-ministro nos negócios em torno do data center de Sines, nem nunca falou com o consultor sobre esta questão. Judicialmente, a explicação vinda do primeiro-ministro é uma peça importante.

3

Os processos judiciais para o PS são traumáticos: basta falar da Casa Pia e de José Sócrates. A dada altura, Costa deixa uma mensagem sobretudo para o próprio partido quanto ao Ministério Público. A de que o próximo primeiro-ministro não se deve inibir de tomar decisões com medo da perseguição judicial. O primeiro-ministro dá a entender que os atores políticos por mais que estejam com a espada judicial em cima da cabeça nunca devem inibir-se de atuar. É o único recado que pode servir já para Pedro Nuno Santos.

4

António Costa de algum modo mostrou receio que os futuros grandes investimentos como o de Sines possam cair por terra na sequência de todo este caso. Há aqui também uma mensagem de confiança para os investidores estrangeiros que não deixem de apostar no país.

5

João Galamba terá, tudo indica, os dias contados no Governo. António Costa não quis falar disso na declaração e depois questionado pelos jornalistas. Espera pela reunião com o Presidente da República, mas os sinais que tem dado apontam para a saída do ministro das Infraestruturas do Governo. Costa na quinta-feira chamou-lhe mesmo "esse assunto".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo
    12 nov, 2023 Leiria 09:26
    "..Judicialmente, a explicação vinda do primeiro-ministro é uma peça importante..." Mas ainda continuam a acreditar neste sr. ?
  • António
    12 nov, 2023 Aveiro 08:43
    Falta dizer o essencial. Um exercício para tentar lavar a imagem e para condicionar o MP
  • maria
    12 nov, 2023 palmela 01:06
    pede desculpas ao cara.... as desculpas nao se pedem evitam-se!

Destaques V+