Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

​Marcelo diz que negócio Efacec ficou "aquém do sonhado"

02 nov, 2023 - 18:27 • Ricardo Vieira

Presidente reconhece que a venda da empresa pode ser boa tendo em conta a conjuntura internacional, realçando que este não foi o desfecho desejado.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, diz que o negócio da venda da Efacec está aquém do esperado tendo em conta as expetativas iniciais.

Em declarações aos jornalistas no antigo Museu dos Coches, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa reconheceu que a venda pode ser boa tendo em conta a conjuntura internacional, realçando que este não foi o desfecho desejado.

“É bom para o ponto a que a situação chegou, devido à conjuntura internacional e ao tempo decorrido. Admito que o senhor ministro ache que é bom”, começou por referir o Presidente da República.

“Agora, é bom em termos daquilo que nós sonhávamos e desejaríamos para a Efacec num contexto diferente? Eu acho que está aquém daquilo que nós ao longo do tempo sonhámos, pensámos e admitimos que fosse possível para a Efacec”, sublinhou o chefe de Estado.

Interrogado sobre a transparência deste negócio, o Presidente da República defendeu que em todos os processos de venda pelo Estado "é muito, muito importante" que, "dentro do possível, se faça o que é necessário para tornar transparente para os portugueses o que se está a passar".

A Iniciativa Liberal (IL) avançou esta quinta-feira com um pedido de comissão parlamentar de inquérito à tutela política da gestão da Efacec, na sequência do negócio da venda da empresa a um fundo alemão.

A IL decide avançar com o inquérito após o Governo anunciar a venda da Efacec à Mutares. O Estado vai injetar mais 160 milhões de euros na empresa, além dos 200 milhões de euros já gastos, 10 milhões de euros por cada mês, desde abril de 2022.

Perante as críticas da oposição à venda da Efacec, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, disse esta quinta-feira, no final do Conselho de Ministros, que "todas as decisões são escrutináveis".

A ministra da Presidência considera que a venda da Efacec a um fundo alemão foi a melhor decisão.

Mariana Vieira da Silva admite, no entanto, que o Governo pode ser sempre escrutinado pelas decisões que toma.

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+