32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

A+ / A-

Câmara do Porto vai apoiar reabertura de bares e discotecas com 600 mil euros

06 set, 2021 - 18:52 • Lusa

Rui Moreira sublinhou que a cidade tem sido capaz de retomar a sua atividade e que os apoios estão dentro das expectativas.

A+ / A-

A Câmara do Porto aprovou esta segunda-feira, com críticas da oposição, um programa de apoio aos bares e discotecas, no valor de 600 mil euros, com objetivo de ajudar à reabertura desde espaços encerrados desde março de 2020.

Apesar de ter sido aprovada por unanimidade, a proposta da maioria municipal mereceu críticas dos vereadores da oposição que lamentaram que o programa não seja extensível a outros setores de atividade.

Numa intervenção na reunião do executivo, o vereador do PS Manuel Pizarro disse ter "pena" que não haja eleições tão frequentemente e lamentou que o Programa de Apoio à Economia da Cidade - "Luz para a noite do Porto" seja tão restritivo, deixando de fora outros setores também afetados pela pandemia da Covid-19, e que "mereciam" o apoio da autarquia.

"Apoio esta medida, só me espanta que só haja um setor apoio que mereça o apoio da câmara", disse.

Em resposta ao socialista, o presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, considerou que a decisão de encerramento dos bares e das discotecas é "ideológica" e é um ato de proibicionismo que não foi visto em nenhum país Europa.

Quantos aos apoios, o autarca sublinhou que a cidade tem sido capaz de retomar a sua atividade e que os apoios estão dentro das expectativas.

Álvaro Almeida do PSD discorda e questiona-se porque é que há um ano, a maioria municipal considerou, ao contrário do entendimento do PSD, que estes apoios não eram necessários e agora, que estes estabelecimentos estão quase a abrir, decidiu intervir.

Rui Moreira esclareceu que esta decisão se deve ao facto de, até ao momento, estarem disponíveis, apoios do Estado.

Também a CDU criticou, pela voz da vereadora Ilda Figueiredo, a falta de apoio a outros de setores de atividade impactados pela pandemia, como é o caso do movimento associativo, dos ginásios, do pequeno comércio ou da restauração.

Numa resposta às críticas, o vereador responsável pelo Pelouro da Economia, Turismo e Comércio e Gestão de Fundos Comunitários, Ricardo Valente assinalou que a maioria municipal sempre defendeu a complementaridade dos apoios, sendo que neste caso o programa aprovado pretende ajudar a retoma da atividade, e não apoiar "lay-off" ou encerramentos.

De acordo com a proposta, cada espaço noturno - bar ou discoteca - pode candidatar-se a um montante máximo de 50 mil euros, num total de 600 mil euros.

A maioria municipal considera que, esta atividade económica, por ter sido interrompida evidência a necessidade de um apoio complementar, concretizado na forma de um Programa de Apoio à Economia da Cidade - "Luz para a noite do Porto", que suporte a programação dos bares e discotecas, até 31 de dezembro de 2021.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+