Tempo
|
A+ / A-

Santana Lopes abandona liderança da Aliança

28 ago, 2020 - 12:51 • Lusa

Santana Lopes não se vai recandidatar no congresso marcado para setembro.

A+ / A-

O antigo primeiro-ministro e atual presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, vai deixar a liderança do partido fundado há dois anos, não se recandidatando no congresso de setembro.

“O dr. Santana Lopes não vai recandidatar-se à presidência da Direção Política Nacional no congresso de 26 e 27 de setembro, em Torres Vedras. Tem disponibilidade para continuar no partido, mas ainda não está definido qualquer lugar ou posição”, disse à agência Lusa o vice-presidente da Aliança Bruno Ferreira da Costa.

Ainda segundo o também diretor executivo desta força política, Santana Lopes “já tinha suspendido as funções executivas em junho”.


A decisão de Pedro Santana Lopes de deixar a liderança foi noticiada hoje pelo jornal Público e confirmada à Lusa pelo vice-presidente da Aliança.

A inscrição da Aliança no Tribunal Constitucional foi aceite em 23 de outubro de 2018 e o partido concorreu em 2019 às eleições europeias e às legislativas.

O primeiro congresso do partido realizou-se em fevereiro de 2019, em Évora, e o próximo será nos dias 26 e 27 de setembro em Torres Vedras.

O partido liderado por Pedro Santana Lopes não elegeu qualquer deputado em ambos os sufrágios. Em 26 de maio de 2019 obteve 1,86% dos votos (61.753) e em 06 de outubro ficou-se por 0,77% (40.487).

Antes da fundar a Aliança, Pedro Santana Lopes candidatou-se à liderança do PSD contra Rui Rio, tendo perdido para o atual presidentes dos sociais-democratas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • César Augusto Saraiva
    29 ago, 2020 Maia 17:42
    Triste destino; Quem o viu como "Delfim" de Sá Carneiro e quem o vê agora!... Na valeta da política, cavada por ele próprio!...
  • Adélio Pequenino
    28 ago, 2020 Terras da Vernária 22:09
    Este Senhor, e todos os politicos, deveriam ter sempre em mente que em politica tanto se sobe como se desce .Também como católico, que diz que é, tinha o dever de levar a sério aquilo que Jesus Cristo recomendou: Quem se eleva será humilhado . Ora, não ganhou a liderança do partido, e muito bem, mas quis elevar - se. Recordo outra passagem bíblica do antigo testamento, mas que se mantem atualizada: tudo que existe debaixo do céu tem o seu tempo. .Assim sendo, na minha modesta opinião, o tempo do Dr. Lopes terminou. O Senhor Sampaio foi um traidor e um ditador para o PSD e para o País , aquando do derrube do governo do Dr. Santana Lopes, mas o Dr. Santana Lopes também foi muito incauto. Deveria ter bem presente que um PM deve permanecer sempre vigilante e deve evitar a vida noturna. Eu costumo dizer, e não estou confundido, que onde está um socialista está um demónio . Por isso, um Cristão tem de estar sempre , sempre vigilante e não se deve deixar cair em tentação. Boa Noite.
  • Jogou mal
    28 ago, 2020 a ultima cartada 14:02
    Já viu que se espalhou ao criar um novo partido "nem carne, nem peixe". Devia ter ficado como "respeitável Senador da República", ou no máximo sair agora dessa zona de conforto, para aproveitar o descontentamento que começa a grassar no PSD e no País, e tentar apear o erro de casting chamado Rui Rio. Jogou mal a última cartada, e agora nem "andar por aí" lhe vai servir de nada. A sua época, passou.

Destaques V+