32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

A+ / A-

UE e EUA saúdam Montenegro e esperam reforçar cooperação com Portugal

03 abr, 2024 - 04:21 • Lusa

A União Europeia e os Estados Unidos felicitaram o primeiro-ministro português, Luís Montenegro, que afirmou querer governar durante toda a legislatura.

A+ / A-

"Parabéns, Montenegro, por ter tomado posse hoje [terça-feira] como primeiro-ministro de Portugal. Aguardo com expectativa a nossa cooperação. Vamos unir forças para um Portugal forte numa Europa forte", escreveu a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, na rede social X (antigo Twitter).

O novo chefe do Governo português foi também felicitado pelo secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, que pediu um reforço das relações entre Washington e Lisboa, "que comemora o regresso à democracia há 50 anos", numa mensagem divulgada na mesma rede social.

O Governo do Montenegro é composto por 17 ministros, sete dos quais são mulheres, o que faz dele o terceiro governo com maior representação feminina na história de Portugal. A maioria dos ministros pertence ao Partido Social Democrata (PSD), liderado pelo primeiro-ministro.

No final de março, teve início a 16.ª legislatura do parlamento português com a posse dos 230 deputados eleitos.

A coligação Aliança Democrática, formada pelo PSD e pelo CDS-PP, obteve 80 deputados contra 78 do Partido Socialista (PS), ambos muito aquém dos 116 lugares necessários para a maioria absoluta.

Os dois maiores partidos apelaram à responsabilidade de Estado de cada um para fazer aprovar as principais leis e medidas.

O PSD e o PS acordaram na semana passada, depois de três votações falhadas, presidir à Assembleia da República (AR) de forma rotativa nos próximos quatro anos, pondo assim fim ao impasse que se tinha instalado, depois de o partido de extrema-direita Chega não ter apoiado os conservadores.

Nas legislativas de março, o Chega quadruplicou o número de lugares na AR, passando de 12 para 50 deputados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+