32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

A+ / A-

Sócrates vai ser julgado por três crimes de corrupção

25 jan, 2024 - 17:24 • Redação com Lusa

Tribunal da Relação reverteu diversas decisões tomadas anteriormente por Ivo Rosa.

A+ / A-

José Sócrates será julgado por três crimes de corrupção no âmbito da Operação Marquês, anunciou esta quinta-feira o Tribunal da Relação de Lisboa. O recurso do Ministério Público sobre a decisão instrutória do juiz Ivo Rosa foi decidido esta quinta-feira contra o antigo primeiro-ministro.

Assim, José Sócrates será julgado por 22 crimes, três de corrupção passiva, 13 de branqueamento e seis de falsificação de documentos.

O acórdão refere que Sócrates é acusado de um crime de corrupção passiva de titular de cargo político em coautoria com o arguido Carlos Santos Silva, de um outro relativo "a atos praticados no interesse do arguido Ricardo Salgado, relativamente a negócios do grupo Portugal Telecom e Grupo Espírito Santo" e um terceiro crime de corrupção passiva de titular de cargo político, em coautoria com o arguido Armando Vara.

Quanto aos 13 crimes de branqueamento de capitais são todos em coautoria com arguidos, entre os quais Carlos Santos Silva, Joaquim Barroca, Ricardo Salgado, Hélder Bataglia, Armando Vara, Rui Horta e Costa e Sofia Fava.

Quanto aos seis crimes de fraude fiscal qualificada, são em coautoria com os arguidos Carlos Santos Silva, Joaquim Barroca e a empresa Lena Engenharia e Construções.

José Sócrates tinha sido acusado em 2017 pelo MP no processo Operação Marquês por 31 crimes, designadamente corrupção passiva, branqueamento de capitais, falsificação de documentos e fraude fiscal, mas na decisão instrutória, em 9 de abril de 2021, o juiz Ivo Rosa decidiu ilibar o antigo governante de 25 dos 31 crimes, pronunciando-o para julgamento apenas por três crimes de branqueamento de capitais e três de falsificação de documentos.

Para além de Sócrates, outros 21 arguidos vão a julgamento

Para além de José Sócrates, outros 21 arguidos vão ser julgados por diversos crimes. Entre eles, Ricardo Salgado, os antigos dirigentes da Portugal Telecom, Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, Hélder Bataglia, diversas empresas do Grupo Lena, o amigo do ex-primeiro-ministro, Carlos Santos Silva, e a ex-mulher de Sócrates, Sofia Fava.

Trata-se de uma vitória do Ministério Público, pois as juízas desembargadoras do Tribunal da Relação de Lisboa aceitaram grande parte dos argumentos da acusação, revertendo quase na íntegra as decisões anteriores do juíz Ivo Rosa.

Dos 188 crimes em que consistia a acusação do MP, Ivo Rosa tinha mantido apenas 17 em 1ª instância. A decisão da Relação recupera agora a maior parte dos crimes apurados pelo MP.

[Notícia atualizada às 18h35]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    25 jan, 2024 aldeia 19:18
    Este processo é uma vergonha para a justiça e para as pessoas de bem, possivelmente vai recorrer a outra instância qualquer, vai-se prolongar mais uns anos e até que o processo seja arquivado.........Nenhum cidadão tem a hipotese nem os recursos como estas figuras politicas, A justiça tem de mudar de regras.

Destaques V+