Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Misericórdia de Sines encerra em fevereiro centro de apoio a jovens mães solteiras

17 jan, 2024 - 15:25 • Lusa

Dificuldades em garantir a sua sustentabilidade na origem da decisão.

A+ / A-

A Misericórdia de Sines (Setúbal) anunciou que vai encerrar, em fevereiro, o Centro de Apoio à Vida "Mãe Sol", que acolhe jovens mães solteiras, grávidas ou com filhos menores, por dificuldades em garantir a sua sustentabilidade.

Trata-se de uma "resposta social", criada em 2001, que tem capacidade para acolher sete mães e sete crianças, mas que "depende exclusivamente do Estado", revelou esta quarta-feira à agência Lusa o provedor da santa casa da misericórdia, Eduardo Bandeira.

"Temos algumas respostas sociais que dependem exclusivamente do Estado e que não são rentáveis e dão prejuízo. Se fosse uma situação pontual, num determinado período do ano, seria aceitável, mas quando estão continuamente, ano após ano, nesta situação não é sustentável" em termos financeiros, argumentou.

De acordo com o provedor, a decisão de encerrar o Centro de Apoio à Vida (CAV) "Mãe Sol" foi "tomada em novembro do ano passado", uma vez que a Misericórdia de Sines "não tem condições de continuar a desempenhar estas funções do Estado".

"Até ao limite de 19 de fevereiro, o [CAV] irá encerrar", apontou o responsável, frisando: "A decisão está tomada, está aceite pela Segurança Social e portanto é uma decisão a cumprir".

De acordo com a Misericórdia de Sines, o centro foi inaugurado em outubro de 2001, no âmbito do Projeto de Luta Contra a Pobreza, e as suas instalações situaram-se inicialmente num apartamento em Vila Nova de Santo André, no vizinho concelho de Santiago do Cacém e cedido pela Administração dos Portos de Sines e do Algarve.

Em 2016, o centro foi mudado para um edifício desativado da instituição em Sines, após obras de reabilitação, disponibilizando quartos individuais e mais divisões, num investimento de cerca de 90 mil euros.

Atualmente, o CAV alberga "três mães que ainda precisam de ser colocadas noutros centros", especificou Eduardo Bandeira.

O provedor explicou ainda que "todos os trabalhadores [deste centro] são integrados em outros serviços" da instituição, existindo apenas "uma exceção".

O centro dá resposta preferencialmente a pedidos da zona sul, nomeadamente dos concelhos de Sines, Santiago do Cacém, Alcácer do Sal e Grândola, no litoral alentejano, bem como a nível distrital, podendo, caso haja vaga, responder a outras solicitações a nível nacional.

Tem como objetivo proporcionar abrigo e todos os cuidados necessários às jovens mães, vítimas de maus-tratos, abandono, sem alojamento, desempregadas e sem apoio familiar.

E pretende proporcionar-lhes condições que favoreçam o normal desenvolvimento da gravidez, promovendo ainda a aquisição de competências pessoais, maternais, profissionais, escolares e sociais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+