Tempo
|
A+ / A-

Hospital São Francisco Xavier sem ​urgência de obstetrícia por falta de médico

05 dez, 2023 - 13:51 • Beatriz Lopes

Fonte hospitalar disse à Renascença que um médico do São Francisco Xavier continuou a trabalhar, após 24 horas de serviço, e que existe agora a possibilidade de grávidas internadas ficarem sem qualquer assistência.

A+ / A-

A urgência de obstetrícia do Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, está esta terça-feira novamente encerrada.

Em causa está o facto de o Hospital de Santa Maria não ter colocado nenhum médico ao serviço. A denúncia é feita à Renascença por fonte hospitalar.

A maternidade do Hospital de Santa Maria está em obras e, desde então, os médicos têm sido escalados para o São Francisco Xavier, algo que não aconteceu.

A mesma fonte hospitalar denuncia à Renascença que um médico do São Francisco Xavier continuou a trabalhar, após 24 horas de serviço, e que existe agora a possibilidade de grávidas internadas ficarem sem qualquer assistência.

Questionada pela Renascença, fonte oficial do Hospital de Santa Maria diz apenas que "a rede de urgência é feita sob articulação da Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde".

A urgência de obstetrícia do Hospital São Francisco Xavier fecha pela segunda vez no espaço de poucos dias, uma vez que na passada sexta-feira também foram registados constrangimentos.

Esta semana (3 a 9 de dezembro), apenas 44 das 83 urgências do país vão funcionar em pleno, de acordo com o plano divulgado na sexta-feira pela Direção Executiva do SNS.

De acordo com o plano, 39 serviços vão apresentar constrangimentos nalgumas especialidades. Ou seja, regista-se um aumento em relação à última semana, quando 36 serviços funcionaram com limitações.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+