Tempo
|
A+ / A-

Ministro da Economia diz que corte das medidas de apoio energético deve ser gradual

22 nov, 2023 - 17:47 • Lusa

"O que nos preocupa é defender a indústria nacional e as empresas nacionais face à conjuntura energética", afirmou hoje o ministro da Economia, defendendo que "a desimplementação desses apoios [no setor energético] não pode ser feita de um dia para o outro".

A+ / A-

O ministro da Economia, António Costa Silva, disse esta quarta-feira que o Governo vai analisar as recomendações de Bruxelas, mas que as medidas de apoio energético não podem ser cortadas de um dia para o outro.

"O que nos preocupa é defender a indústria nacional e as empresas nacionais face à conjuntura energética", afirmou o ministro da Economia, defendendo que "a desimplementação desses apoios [no setor energético] não pode ser feita de um dia para o outro".

A Comissão Europeia instou na terça-feira Portugal a reduzir as medidas de apoio energético "o mais rapidamente possível em 2023 e 2024".

No parecer à proposta do Orçamento do Estado para 2024 (OE2024), publicado no âmbito do Semestre Europeu, o executivo comunitário considera que esta "não está totalmente em conformidade com a recomendação" do Conselho que em julho sugeriu que Portugal reduzisse os apoios energéticos atualmente em vigor.

"São recomendações de Bruxelas que o Governo vai seguir e analisar", disse o ministro, vincando que, apesar de se ter registado uma diminuição dos preços do petróleo, nas últimas semanas, "os apoios às empresas, provavelmente tem que se graduar".

"É fundamental manter os apoios e gradualmente ver como é que a economia se vai comportar", afirmou à agência Lusa.

António Costa e Silva falava à agência Lusa à margem de uma visita à freguesia da Benedita, no concelho de Alcobaça, no distrito de Leiria, no âmbito da promoção das atividades empresariais e 'clusters' da região Oeste.

O ministro visitou a empresa IVO cutelarias e as obras de construção da Área de Acolhimento Empresarial da Benedita.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+