Tempo
|
A+ / A-

Novas regras permitem lares até 20 idosos

14 nov, 2023 - 15:03 • Ana Catarina André , João Pedro Quesado

João Ferreira, presidente da Associação ALI, considera a medida positiva, já que pode reduzir o fenómeno dos lares ilegais.

A+ / A-

Uma portaria, publicada esta segunda-feira em Diário da República, permite a existência de lares com capacidade de até 20 idosos. À Renascença, o presidente da Associação de Apoio Domiciliário de Lares e Casas de Repouso de Idosos (Associação ALI) garante as novas regras podem reduzir o número de lares ilegais.

A portaria n.º 349/2023, anunciada pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social esta terça-feira, no Parlamento, faz alterações às regras existentes para as estruturas residenciais para pessoas idosas, abrindo a possibilidade de existirem estruturas mais pequenas, que acolhem apenas até 20 residentes.

Para João Ferreira, presidente da Associação ALI, a nova portaria pode contribuir para diminuir o número de lares ilegais.

"Não evitará todos, mas poderá evitar que muitos apareçam ilegais e sem se conseguir licenciar. E eventualmente, não é garantido, que alguns dos atuais lares ilegais que já estão a funcionar poderão ganhar condições para se licenciar", disse o responsável da associação.

Segundo a portaria, as estruturas residenciais para pessoas idosas "devem funcionar, preferencialmente", num edifício autónomo, e podem estar instaladas em "construções modulares e prefabricadas".

As regras permitem também dispensar "áreas funcionais" nestes lares, desde que não se coloque em causa "a prestação de cuidados adequados aos residentes e sejam garantidas as condições adequadas aos profissionais da instituição".

Tal como "não é necessário existir sala para os trabalhadores", a portaria dispensa as instalações sanitárias por sexo, "quando a área de alojamento se localize no mesmo piso do edifício e na proximidade". Podem ainda existir salas " que garantam simultaneamente zonas de estar e de refeição".

Ana Mendes Godinho está a ser ouvida esta terça-feira na Assembleia da República, no âmbito do debate, na especialidade, do Orçamento do Estado para 2024.

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+