A+ / A-

120 anos do ACP. Carlos Barbosa denuncia "enorme sofreguidão fiscal dos governos" no setor automóvel

04 nov, 2023 - 09:00 • Pedro Mesquita

Este sábado vai regressar à estrada o primeiro automóvel que circulou em Portugal, corria o ano de 1895. O Presidente da República será transportado no "Panhard & Levassor".

A+ / A-

Este sábado, dia em que o Automóvel Clube de Portugal (ACP) encerra as comemorações dos seus 120 anos de existência, o presidente do ACP diz à Renascença que não tem memória de um momento tão difícil para os automobilistas.

Carlos Barbosa acusa os sucessivos governos de revelarem "uma enorme sofreguidão fiscal", arrecadando no setor automóvel mais de 30% dos impostos.

Dinheiro - acrescenta o presidente do ACP - que é depois enterrado onde não devia, dando o exemplo da Efacec.

"Não me lembro do momento tão difícil. A sofreguidão dos governos em irem buscar impostos, e mais impostos, ao setor automóvel é enorme. Neste momento, 32% dos impostos em Portugal vêm do setor automóvel. É uma verdadeira loucura", refere.

"Porque não tem alternativas, noutros sítios, para irem buscar dinheiro, enterram dinheiro onde não deviam enterrar, como é o caso da Efacec. É, portanto, um momento difícil para os portugueses, mas eu espero que consigam resistir esta sofreguidão fiscal que os governos têm", acrescenta.

Mas este sábado é um dia de festa para o ACP e vai regressar à estrada o primeiro automóvel que circulou em Portugal, corria o ano de 1895. Voltará a rolar, e com um ilustre passageiro: O Presidente da República será transportado no velhinho "Panhard & Levassor".

Espera-se que, desta vez, não aconteçam imprevistos. É que o primeiro automóvel a ser avistado no nosso país sofreu um curioso acidente mal saiu à rua, para a primeira viagem.

Não. Claro que não chocou contra qualquer outro carro, porque era o único, na altura, em Portugal. O velhinho" Panhard & Levassor" - na altura novinho em folha - foi notícia, isso sim, por ter atropelado um burro.

"Foi o primeiro carro a circular em Portugal. Foi oferecido ao Automóvel Clube pela família Garrido. Este carro teve um desastre mal saiu a primeira vez, porque atropelou um burro. Foi o primeiro acidente rodoviário em Portugal. Depois veio cá um mecânico francês que recuperou o carro todo. O carro está a andar e espero dar uma volta, com o Senhor Presidente da República nesse carro, ali nos jardins de Belém", recorda Carlos Barbosa, à Renascença.

Depois, a festa segue para o Museu dos Coches, em Lisboa, marcada para as 16h00.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 04 nov, 2023 aldeia 10:35
    Totalmente de acordo com a análise feita pelo Sr.Carlos Barbosa, o ACP é a unica entidade com conhecimento no ramo automóvel e nunca é ouvida pelos governantes,é um autêntico saque em impostos,este governo socialista mostra a sua apetência por dinheiro,seja dos contribuintes europeus como dos portugueses que trabalham, e então quando têm uma maioria absoluta,é só esfregar as mãos de contente a esmifrar quem trabalha,as empresas sufocam com a carga fiscal e o simples povo que trabalha. faz uma ginástica terrivel para viver "condignamente".Apenas vemos a pouca inteligência e a arrogância de governantes tão mediocres,Portugal assim, nunca se pode desenvolver, estamos condenados á miséria?

Destaques V+