A+ / A-

Dedicação plena dos médicos. Marcelo promulga diplomas para não ser “travão”

24 out, 2023 - 15:49 • Diogo Camilo

Presidente da República indica que vetar medidas “só atrasaria o já atrasado”, mas deixa críticas ao Governo e diz esperar que “se abra alguma porta, mesmo estreita”, nos regimes de prestação de serviço e na sua remuneração.

A+ / A-

O Presidente da República promulgou esta terça-feira dois diplomas para um novo regime jurídico no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e para a reorganização das unidades de saúde familiar, mas deixa um aviso que as leis “levantam inúmeras dúvidas e reticências”.

Em nota na página da Presidência, Marcelo refere que o “Presidente da República entende não dever constituir travão” a medidas que “só atrasariam o já atrasado” e espera que “se abra alguma porta, mesmo estreita” nos regimes de prestação de serviço e na sua remuneração.

Marcelo recorda que os diplomas só surgem depois do Governo ter aprovado, depois de “um ano perdido”, os estatutos jurídicos da nova Direção Executiva do SNS e critica que um dos diplomas junte matéria de organização administrativa a “duas outras que mereceriam tratamento autónomo: o regime da chamada dedicação plena e o regime das horas extraordinárias”.

“Essa solução, aparentemente conjuntural, acaba por limitar e enfraquecer o tratamento pontual daquelas matérias”, refere o Presidente da República, considerando que a componente organizativa “também perde com o processo casuístico adotado”.

Ainda assim, e apesar da “oposição, mais ou menos intensa, dos profissionais do setor”, Marcelo refere que procedeu à promulgação dos diplomas, que também incluem a criação, com natureza de entidades públicas empresariais, de unidades locais de saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    24 out, 2023 Lisboa 15:40
    O Tira-selfies de Belém, habituou-se ao "promulgo, mas..." e não quer outra coisa!

Destaques V+