Tempo
|
A+ / A-

Universidade de Coimbra procura mulheres com carcinoma da mama para ensaio clínico

19 out, 2023 - 11:33 • Lusa

Segundo a universidade, as intervenções, denominadas "Mind e Mind Support Group", vão decorrer em formato de grupo, à distância (online), durante um período de oito semanas.

A+ / A-

Uma equipa de investigação liderada pela Universidade de Coimbra (UC) está à procura de participantes para um ensaio clínico nacional, que visa aferir qual é a intervenção psicológica mais eficaz em mulheres com carcinoma da mama.

Numa nota de imprensa enviada à agência Lusa, a Universidade de Coimbra explicou que depois de estudos anteriores terem revelado a eficácia de dois tipos de intervenções psicológicas, os investigadores e psicólogos clínicos pretendem agora perceber qual delas é a mais eficaz e adequada ao cancro da mama.

"As mulheres que pretendam fazer parte destas intervenções psicológicas podem participar gratuitamente, sendo necessário que cumpram seis critérios". Nos critérios figuram a necessidade de ser acompanhada num serviço de radioterapia em Portugal, público ou privado, ter recebido diagnóstico de carcinoma da mama (estádios I-III) e não se encontrar, neste momento, a receber psicoterapia.

É ainda necessário que não apresente, atualmente, perturbação psiquiátrica severa, seja capaz de compreender e responder a questionários de autorresposta em língua portuguesa e tenha acesso a um computador ou tablet e internet.

A manifestação de interesse para participar no estudo pode ser feita ao longo dos próximos 12 meses, através do website do projeto.

Haverá uma sessão por semana (online), com a duração estimada de 90 a 120 minutos, a cargo de dois psicólogos clínicos.

"Além da avaliação clínica inicial, para aferir o cumprimento dos critérios previamente mencionados, as participantes vão ser avaliadas em mais três momentos, através de questionários de autorresposta: antes da intervenção, no final da intervenção e seis meses após o fim da intervenção".

O ensaio clínico não tem qualquer interferência com os tratamentos e procedimentos médicos, que vão ser mantidos por todas as participantes.

Atualmente, em Portugal, "as mulheres com carcinoma da mama, de forma geral, não recebem qualquer tipo de intervenção psicológica no seu tratamento habitual", assinala Inês Trindade, coordenadora do projeto, investigadora do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC) da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCEUC) e docente do Center for Health and Medical Psychology da Universidade de Örebro (Suécia).

"As intervenções que este ensaio clínico oferece são ambas cientificamente comprovadas como eficazes na melhoria da qualidade de vida e saúde mental em mulheres com esta patologia. A equipa de investigação pretende testar qual a intervenção mais adequada para o contexto português, tanto em termos de eficácia, como de custo-efetividade, e, a longo prazo, a implementação dessa intervenção no tratamento habitual de mulheres com carcinoma da mama", elucidou.

O projeto de investigação "Mind programme for cancer patients: A randomized controlled trial testing the programme´s cost-effectiveness and efficacy in changing psychological and biological outcomes in women with breast cancer" é financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. .

Participam neste estudo várias unidades de ensino e investigação da UC - CINEICC, FPCEUC, Faculdade de Economia e Centro de Neurociências e Biologia Celular -, assim como outras instituições portuguesas: Clínica de Saúde Mental do Porto, Instituto Superior Miguel Torga, Universidade do Porto e Universidade Portucalense Infante D. Henrique.

Entre as instituições internacionais que participam neste estudo estão a Universidade de Edge Hill (Reino Unido), Universidade de Deakin (Austrália), Universidade de Nicósia (Chipre), Universidade de Örebro (Suécia) e Universidade de Uppsala (Suécia).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+