A+ / A-

Detidos quatro trabalhadores do Porto de Leixões por suspeita de tráfico de droga

19 out, 2023 - 10:55 • Lusa

Além das detenções, foram aprendidos 100 quilos de cocaína, bem como várias viaturas e armas.

A+ / A-

A Polícia Judiciária (PJ) deteve, em Matosinhos, quatro homens indiciados por tráfico de droga que alegadamente introduziam os estupefacientes através de navios e contentores no Porto de Leixões, foi anunciado.

Em comunicado, a PJ indicou que a investigação contra o narcotráfico de cariz internacional visava o grupo de trabalhadores do Porto de Leixões (distrito do Porto) e decorria há vários meses.

Além das detenções, foram aprendidos 100 quilos de cocaína, bem como várias viaturas e armas.

O grupo de trabalhadores portuários, suspeitos de extraírem droga de navios e contentores, no âmbito da atividade de organizações criminosas, seriam responsáveis pela introdução de elevadas quantidades de estupefaciente no espaço europeu.

De acordo com a PJ, o método utilizado é conhecido por "rip on /rip off": "Pressupõe a violação e contaminação de cargas transportadas a granel ou contentorizadas, e depende da existência de uma equipa de "resgate" que recupere os produtos ilegalmente introduzidos, antes de as mercadorias lícitas chegarem ao cliente final".

Os arguidos foram detidos em flagrante delito quando pretendiam abandonar o porto com droga retirada de um contentor de transporte marítimo, proveniente do continente americano.

Os detidos têm idades entre os 20 e os 45 anos. Sem especificar o dia, a PJ indica que serão presentes a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+