A+ / A-

Menos mortes e mais nascimentos. Dados do mês de julho em Portugal

18 ago, 2023 - 14:21 • Lusa

Apesar do aumento dos nascimentos e diminuição das mortes em relação ao mesmo período do ano passado, o saldo natural continua a ser negativo.

A+ / A-

Em julho morreram em Portugal menos 19% de pessoas face ao mês homólogo de 2022 e em junho nasceram com vida mais 2,6% de bebés comparativamente a junho do ano passado, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com dados mensais divulgados esta sexta-feira pelo INE sobre mortalidade, natalidade e nupcialidade, registaram-se em julho 8.696 óbitos, menos 1,2% (-109) face a junho e menos 19,0% (-2.044) comparativamente a julho de 2022.

No mês passado morreram menos 11 pessoas por covid-19 em relação a junho, totalizando 140 mortes, que representavam 1,6% do número global de mortes em julho.

Comparativamente a julho de 2022, houve em julho do corrente ano menos 327 óbitos devido à covid-19, doença respiratória pandémica causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado em finais de 2019 na China e que assumiu várias variantes e subvariantes, umas mais contagiosas do que outras.

Segundo as estatísticas vitais, que para os nados-vivos e casamentos apresenta apenas dados de junho, o número de bebés que nasceram com vida foi neste mês de 6.913, o que corresponde a um aumento de 2,6% face a junho de 2022, que totalizou 6.736 nados-vivos.

Quando comparados os valores semestrais, o número de bebés nascidos com vida aumentou entre janeiro e junho deste ano 5,2% (+2.043), para 41.296, face ao período homólogo de 2022, que registou 39.253 nados-vivos.

Apesar de negativo, o saldo natural (diferença entre o número de nados-vivos e o número de óbitos num determinado período) desagravou-se em junho passado (-1.874) face a junho de 2022 (-3.464).

O saldo natural é negativo quando o número de nados-vivos é inferior ao número de mortos.

Em termos semestrais, entre janeiro e junho de 2023 o valor acumulado do saldo natural foi -19.197, representando um desagravamento face ao período homólogo de 2022, que registou -24.659.

As estatísticas do INE revelam, ainda, que em junho se realizaram em Portugal menos 5,4% de casamentos (-218) do que no mês homólogo de 2022, totalizando 3.816 matrimónios.

Apesar desta quebra, houve mais 6,6% (+922) de casamentos celebrados em todo o primeiro semestre de 2023 do que em igual período de 2022, perfazendo um total de 14.894 matrimónios realizados.

As próximas estatísticas vitais mensais serão divulgadas em 15 de setembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+