32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

A+ / A-

Zero alerta para agravamento da qualidade da água nas praias

11 ago, 2023 - 09:50 • Redação

Associação ambientalista pede mais cuidado aos municípios na gestão de tratamentos das águas residuais

A+ / A-

A associação ambientalista Zero alerta para o agravamento da qualidade da água nas praias durante a época balnear.

Em declarações à Renascença, o presidente da Zero, Francisco Ferreira, adianta que "as razões de interdição estão principalmente relacionadas com a má qualidade da água. Nós temos um aumento, quer das praias interditadas, quer das praias que têm tido banho desaconselhado ou proibido."

Numa avaliação que a Zero faz todos os anos, Francisco Ferreira regista 28 praias interditas e 29 que tiveram banho desaconselhado ou proibido, o que perfaz um aumento de sete praias com má qualidade da água, relativamente à época balnear do ano passado.

O dirigente aponta que as alterações aos níveis da água têm origem fecal e alerta para riscos associados para quem não cumpre as ordens de interdição.

"Há muitos casos de pessoas que continuam a tomar banho e, por prevenção, não deveriam fazê-lo porque é um risco para a saúde pública. Estamos a falar, acima de tudo, de uma contaminação microbiológica com origem, na maioria dos casos fecal, com problemas que podem ser causados ao sistema gastrointestinal e infeções que podem surgir", explica.

Francisco Ferreira critica ainda o nível de poluição registado e pede mais esforços aos municípios na gestão dos equipamentos de tratamento de águas residuais.

"Nesta altura, já não deveríamos ter muitos dos focos de poluição que continuamos a ter e o que é facto é que o investimento feito ao longo das últimas décadas nesta área do tratamento de águas residuais tem sido enorme, mas é preciso as entidades responsáveis, nalguns casos os municípios, noutros não - inclusive indústrias -, sejam mais cuidadosos nesta gestão e na operação de muitos destes equipamentos".

O Presidente da associação ambientalista Zero deixa também críticas à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a quem recomenda mais coerência e eficiência na apresentação de resultados da avaliação da qualidade da água.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+