Tempo
|
A+ / A-

Sindepor

Adesão à greve dos enfermeiros em Lisboa ronda os 80%

01 ago, 2023 - 11:00 • Lusa

“Não queremos minimamente perturbar a Jornada Mundial da Juventude, porque não é esse o objetivo", garante sindicato.

A+ / A-

A greve de quatro dias dos enfermeiros na Área Metropolitana de Lisboa (AML), que começou esta terça-feira, está acima dos 80% nos cuidados de saúde primários, segundo o Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor), que marcou a paralisação.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Sindepor, Carlos Ramalho, disse que, com esta greve, os enfermeiros não querem prejudicar a Jornada Mundial da Juventude, que hoje arranca em Lisboa, mas antes manifestar o seu descontentamento com as condições em que exercem a profissão.

“Não queremos minimamente perturbar a Jornada Mundial da Juventude, porque não é esse o objetivo. Queremos, mais uma vez, manifestar o nosso descontentamento, o que significa que os cuidados mínimos estão a ser assegurados”, afirmou.

Carlos Ramalho lembrou que os cuidados de saúde primários, as consultas externas e alguns serviços de internamento estão a funcionar em serviços mínimos, acrescentando que, nos centros de saúde, a adesão está entre os 80% e 90%.

Sobre a adesão à greve nos restantes serviços, remeteu mais informações para cerca das 11h00.

O Sindepor tinha marcado uma greve de quatro dias, abrangendo os 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML), entre 01 e 04 de agosto, período em que Lisboa estará a acolher a edição deste ano da Jornada Mundial da Juventude (encontro de milhares de jovens com o Papa Francisco), com as principais cerimónias a terem lugar no Parque Eduardo VII e no Parque Tejo, a norte do Parque das Nações, na margem ribeirinha do Tejo.

O sindicato pretende a integração imediata nos quadros das instituições dos enfermeiros com vínculos precários, o cumprimento das dotações seguras através da contratação de enfermeiros, cumprindo-se a autonomia para contratar e a abertura de concursos para as várias categorias desta profissão.

Exigindo a criação de um modelo de Avaliação do Desempenho justo, transparente e exequível, pede também a imediata abertura de negociações com a tutela para a concretização de uma nova carreira de enfermagem que, entre outros aspetos, compense o risco e desgaste rápido e penosidade inerente à profissão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+