A+ / A-

Santa Maria da Feira

Aluno acusado de agredir violentamente colega começa a ser julgado

14 fev, 2023 - 14:11 • Lusa

Os factos ocorreram, em 2018, junto à paragem do autocarro, frente à Escola Secundária Dr. Ferreira da Silva, em Cucujães, Oliveira de Azeméis.

A+ / A-

O Tribunal de Santa Maria da Feira começou esta terça-feira a julgar um jovem de 21 anos acusado de ter agredido violentamente um colega da escola, em Oliveira de Azeméis, no distrito de Aveiro, em 2018.

Nas primeiras declarações ao tribunal, o arguido, que está acusado dos crimes de ofensa integridade física grave e omissão de auxílio, disse que foi provocado pelo ofendido e que ambos se envolveram numa luta após uma troca de palavras.

“Ele veio ao meu encontro e deu-me um empurrão”, explicou o arguido, adiantando que ambos se envolveram numa luta corpo a corpo.

O arguido admitiu ter dado "dois murros" no rosto do ofendido, negando, contudo, as agressões na cabeça, como refere a acusação do Ministério Público (MP).

Confirmou ainda que após a contenda, deixou o colega prostrado no chão e foi para a sala de aula, mas garantiu que lhe teria prestado auxílio se soubesse o estado em que ele estava.

Os factos ocorreram a 30 novembro 2018, cerca das 8h40, junto à paragem do autocarro, situada frente à Escola Secundária Dr. Ferreira da Silva, em Cucujães, Oliveira de Azeméis.

Segundo a acusação do MP, consultada pela Lusa, o arguido e o ofendido, ambos então com 17 anos, discutiram e envolveram-se em agressões mútuas, tendo o primeiro desferido vários murros e pontapés na cabeça e em outras partes do corpo do colega. Após o termo da luta, o ofendido ficou cambaleante e caiu ao chão, perdendo os sentidos.

A acusação refere ainda que, apesar de ver que o ofendido não estava bem, o arguido abandonou o local e dirigiu-se para o interior da escola, deixando o colega entregue à sua sorte, não lhe prestando qualquer auxílio.

Na sequência da agressão perpetrada pelo arguido, o ofendido sofreu um traumatismo crânio encefálico e cervical seguido de Acidente Vascular Cerebral que lhe deixaram sequelas neurológicas.

Em maio de 2019, o ofendido era titular de um Atestado Médico de Incapacidade Multiuso que lhe atribuiu 87% de incapacidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+