Tempo
|
A+ / A-

Vem aí “umbilhete.pt” para os transportes

10 fev, 2023 - 09:50 • Anabela Góis , Olímpia Mairos

Para já avança na Grande Lisboa e no Grande Porto, mas a ideia é fazer que um título possa ser usado para uma viagem em todo o país.

A+ / A-

O projeto “umbilhete.pt” arranca oficialmente esta sexta-feira, com a assinatura de um protocolo entre as Áreas Metropolitanas (AM) de Lisboa e Porto e o Instituto da Mobilidade e Transportes (IMT) e deve ser uma realidade dentro de cinco a seis meses.

Em entrevista à Renascença, o secretário de Estado da Mobilidade explica que o IMT vai coordenar o trabalho e vai ficar fiel depositário do título único, ao qual todas as comunidades intermunicipais podem aderir.

O objetivo da medida, segundo Jorge Delgado, é que haja um único título de transporte – como o Andante, do Porto, e o Navegante, de Lisboa – que possa ser usado em todo o país e em todos os tipos de transporte. Isto abre caminho a tarifários intermunicipais, inter-regionais ou até a um preço para todo o território.

“Nós queremos uniformizar este tipo de suporte para que, por um lado, as autoridades que têm que gerar estes títulos possam aproveitar o trabalho umas das outras, um produto que seja feito por uma pode ser partilhado com os outros, e exista compatibilidade entre todas as regiões”, destaca.

A ideia - acrescenta - é com um simples cartão ou com um telemóvel, comprar um título em qualquer sítio.

“E por via desta compatibilização, isto vai-me abrir a possibilidade de eu muito mais fácil criar tarifários, bilhetes, que sejam intermunicipais e inter-regionais e, no limite até um bilhete para todo o território”, esclarece.

Jorge dá o exemplo da CP que apesar de percorrer todo o país tem de fazer acordos com as várias Comunidades Intermunicipais por onde passa e tem de adaptar aos sistemas que existem em cada um do território. Com este “um bilhete.pt” isto fica resolvido.

De acordo com o governante, quando o trabalho estiver concluído as várias comunidades intermunicipais podem aderir ao tal bilhete único e vão ter incentivos para o fazerem. Há 2,7 milhões de euros para o projeto.

“Ao fim de cinco, seis meses, esperamos que possamos comprar um cartão em qualquer sítio e carregar os títulos de viagem em qualquer sítio também. Ao fim de dez meses, esperamos ter isso desenvolvido para as aplicações móveis e passados mais três meses ter isso também para utilização de cartões do tipo multibanco”, adianta.

Para já “umbilhete.pt” avança para os transportes públicos, mas o objetivo final é que também possa ser usado em táxis, em TVDE’s e até para trotinetas e bicicletas.

“Claro que isto vai depender, depois da disponibilidade de cada operador privado para se adaptar e se integrar nisto. É um trabalho que vamos prosseguir porque entendemos que o sistema de mobilidade deve ser um sistema coeso, com estes elos todos ligados e oleados para que o cidadão que sinta confortável e sinta que é fácil utilizar estes meios”, realça.

A ideia é tornar tudo mais coeso, simples e confortável para simplificar a vida dos utentes e cativar mais utilizadores para os transportes públicos.

“O sistema de transportes públicos é a espinha dorsal do sistema de mobilidade, mas de facto faz todo o sentido permitir que o mesmo título que nos permite andar no transporte público nos permita inserir habilitação para utilizar meios complementares da mobilidade ativa”, remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+