A+ / A-

Associação Novamente

"Onde anda com a cabeça?" Petição quer tornar obrigatório uso de capacetes em trotinetes

09 fev, 2023 - 12:47 • Lusa

Em 2022 registaram-se 1.691 acidentes de trotinete em Portugal, um aumento de 78% em relação ao ano anterior.

A+ / A-

A associação Novamente, de apoio às vítimas de traumatismos crânio encefálicos (TCE) e às suas famílias, lançou uma petição pública para tornar obrigatório o uso de capacetes em trotinetes, indicou hoje a organização num comunicado.

Assinalando que os acidentes com trotinetes elétricas são “um sério problema de saúde pública” e que “uma queda a 20Km/h sem capacete pode provocar lesões cerebrais graves e a morte”, a Novamente quer apresentar o requerimento à Assembleia da República para que esta regulamente aquela obrigatoriedade.

“Onde andas com a cabeça? Num acidente, só o capacete pode evitar o traumatismo” é a mensagem inscrita num cartaz de divulgação da petição, sob uma imagem de uma queda.

Segundo dados do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), em 2022 registaram-se 1.691 acidentes de trotinete, o que representa um aumento de 78% em relação ao ano anterior e uma média de 141 acidentes mensais.

“O número de vítimas graves destes acidentes também aumentou, nomeadamente (…) vítimas que apresentam lesões crânio encefálicas e as que necessitam de cuidados intensivos”, refere o comunicado.

A associação sem fins lucrativos criada por pais, médicos e amigos de traumatizados crânio-encefálicos considera que as trotinetes têm “inquestionáveis vantagens para o meio ambiente” e são “muito práticas” para quem vive nas cidades, mas nota que “na sua utilização muitas vezes são negligenciadas as normas de segurança” e chama a atenção para “as consequências económico-sociais”, quer para as famílias, quer para a sociedade daquelas lesões.

Segundo a associação, a petição já foi assinada por quase 550 pessoas, entre as quais Óscar Gaspar, ex-secretário de Estado da Saúde e presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP)), Rui Pego (radialista), Carlos Barbosa, presidente do Automóvel Clube de Portugal (ACP), as jornalistas Margarida Pinto Correia, Sónia Morais Santos e Mafalda Anjos, a apresentadora de televisão Júlia Pinheiro, bem como os apresentadores e atores Diana Chaves, João Paulo Sousa e Miguel Costa.

“O que se pede com esta petição é muito simples: a proteção do que mais precioso e mais sensível temos no nosso organismo: o cérebro”, indica a Novamente, que espera que mais signatários “se venham a juntar à causa”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+