A+ / A-

Parlamento. Docentes entregam petição pelo fim da precariedade

19 abr, 2022 - 06:39 • Lusa

A recomposição da carreira docente, uma "avaliação justa", um regime específico de aposentação, a eliminação da precariedade e "o fim dos abusos e ilegalidades nos horários de trabalho" são algumas das mudanças pedidas.

A+ / A-

Professores entregam na Assembleia da República, esta terça-feira, uma petição com cerca de vinte mil assinaturas a pedir medidas como um regime específico de aposentação ou a eliminação da precariedade.

A iniciativa é da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) que escolheu o primeiro dia de aulas do terceiro período para entregar o documento intitulado "Reclamamos justiça, efetivação dos nossos direitos e respeito por horário de trabalho".

A recomposição da carreira docente, uma "avaliação justa", um regime específico de aposentação, a eliminação da precariedade e "o fim dos abusos e ilegalidades nos horários de trabalho" são algumas das mudanças pedidas no abaixo-assinado.

Os subscritores estão contra o processo de municipalização da educação em curso e pedem a "democratização da gestão das escolas e agrupamentos", lê-se na petição.

Na petição, os signatários reafirmam o seu zelo no cumprimento dos deveres profissionais, recordam o esforço que têm feito para não deixarem qualquer aluno para trás e confirmam o empenho colocado na sua atividade profissional, seja ela presencial ou a distância.

De acordo com a Fenprof, a petição dirige-se à Assembleia da República, mas também ao Governo, "devendo ser entregue oportunamente ao ministro da Educação".

De acordo com a tutela, a nova equipa governativa convocou todos os sindicatos representativos para reuniões, que deverão realizar-se em 27 de abril.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    19 abr, 2022 Lisboa 09:41
    Prova de Vida de sindicatos a verem sair associados em bárdea

Destaques V+