Tempo
|

35,42%
47 Deputados
25,24%
28 Deputados
9,05%
7 Deputados
6,37%
3 Deputados
4%
1 Deputados
3,09%
1 Deputados
1,38%
0 Deputados
1,25%
0 Deputados
1,11%
0 Deputados
5,15%
5 Deputados
  • Freguesias apuradas: 2495 de 3092
  • Abstenção: 45,06%
  • Votos Nulos: 5,44%
  • Votos em Branco: 2,48%

Total esquerda: 57Mandatos
Pan: 1Mandatos
Total direita: 34Mandatos
A+ / A-

Covid-19. Alemanha tira Portugal de zona de alto risco, mas mantém Lisboa e Algarve

13 ago, 2021 - 18:00 • Lusa

Na atualização anterior da lista feita pelo Instituto Robert Koch de virologia, foram incluídas algumas regiões do sul da França, bem como a ilha da Córsega e vários territórios ultramarinos.

A+ / A-

Veja também:


As autoridades alemãs retiraram Portugal, à exceção de Lisboa e do Algarve, da lista de países de alto risco de contaminação com covid-19, onde passaram a constar Turquia, Estados Unidos e Israel.

Estar nessa lista significa que os viajantes não imunizados desses três países são colocados numa quarentena de 10 dias, reduzíveis a cinco se for apresentado um teste negativo ao fim do quinto dia.

Há precisamente uma semana, na atualização anterior da lista feita pelo Instituto Robert Koch (RKI) de virologia, foram incluídas algumas regiões do sul da França, bem como a ilha da Córsega e vários territórios ultramarinos.

Como regra, a partir do início de agosto, todo o viajante maior de 12 anos que não tenha recebido as duas doses da vacinal contra a covid-19 ou tenha passado pela doença deve apresentar um teste negativo ao entrar no país.

Se vierem de uma das regiões incluídas na lista de alto risco, é imposta uma quarentena de dez dias, redutível a cinco, aos não imunizados.

Para aqueles que entram nas áreas sob o controle das variantes mais agressivas, a obrigação de apresentar um teste é estendida a todos os viajantes.

A Alemanha registou um aumento ainda moderado, mas contínuo, na incidência de casos covid-19 desde julho.

O nível atual é de 30,1 infeções a sete dias por cada 100.000 habitantes em média nacional.

O pico absoluto foi registado em dezembro de 2020, com 196,7 casos semanais por cada 100.000 habitantes.

Depois de manter durante meses o encerramento da vida pública - restauração, cultura e lojas não essenciais -, o nível foi reduzido até atingir, em junho, a incidência média nacional de cinco casos semanais.

Segundo os dados oficiais, 56,6% da população alemã já recebeu as duas doses da vacina, enquanto 63% conta com uma.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+