Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Operação Marquês

Julgamento de Ricardo Salgado adiado pela 2.ª vez. Juiz remarca para 6 de julho

14 jun, 2021 - 10:25 • Celso Paiva Sol com redação

Pedido está relacionado com a dimensão dos documentos que acompanham a contestação da defesa do arguido.

A+ / A-

O Ministério Público pediu o adiamento do julgamento de Ricardo Salgado, devido à extensão da contestação da defesa do antigo banqueiro. O juiz Francisco Henriques aceitou e a primeira sessão deve acontecer a 6 de julho, às 14h00.

O pedido do procurador Vitor Pinto foi justificado com a dimensão dos documentos que acompanham a contestação da defesa do arguido: 191 páginas, 160 documentos e referências a 40 testemunhas.

O início do julgamento esteve previsto para 7 de junho, mas foi adiado para esta segunda-feira (14 junho) devido ao prazo para a defesa apresentar a contestação. Agora, só deve arrancar a 6 de julho. As restantes datas são 8, 13, 14, 16, 20, 21 e 23 do mesmo mês.

Para além desta questão processual, há uma outra que vai marcando este início conturbado de julgamento.

A defesa do ex-banqueiro continua a pedir que o arguido seja dispensado de estar presencialmente em tribunal - alegando a idade e as regras sanitárias -, mas o juiz reafirmou o que já tinha dito a semana passada. Ricardo Salgado fará o que entender, mas quando tiver que ser ouvido terá que estar fisicamente presente.

A defesa não concorda e este é um ponto que promete continuar a trazer alguma polémica.

Ricardo Salgado, de 76 anos, vai ser julgado por três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros.

No âmbito da Operação Marquês, que tem como principal arguido o antigo primeiro-ministro José Sócrates, Ricardo Salgado foi acusado de 21 crimes, entre corrupção ativa (num dos casos por alegadamente ter corrompido Sócrates), branqueamento de capitais, falsificação de documentos e fraude fiscal qualificada.

Contudo, o juiz de instrução Ivo Rosa decidiu pronunciar Ricardo Salgado unicamente por três crimes de abuso de confiança, em processo conexo e separado da Operação Marquês.

O que está em causa?

De acordo com a decisão instrutória da Operação Marquês, Ricardo Salgado vai a ser julgado por um crime de abuso de confiança, relativamente a transferência de quatro milhões de euros, com origem em conta da ES Enterprises na Suíça para conta do Credit Suisse, titulada pela sociedade em offshore Savoices, controlada por si, em 21 de outubro de 2011".

O ex-banqueiro terá também de responder em tribunal por um crime de abuso de confiança relacionado "com uma transferência de 2.750.000,00 euros com origem em conta da ES Enterprises na Suíça, de conta titulada pela sociedade Green Emerald na Suíça, controlada pelo arguido Helder Bataglia, para conta do Credit Suisse, titulada pela sociedade em 'offshore' Savoices, controlada por si".

O ex-presidente do Grupo Espírito Santos responde também por outro crime de abuso de confiança, "relativamente a transferência de 3.967.611,00 euros" com "origem em conta do banco Pictet titulada por Henrique Granadeiro e com destino a conta do banco Lombard Odier titulada pela sociedade em offshore Begolino" controlada pelo ex-presidente do BES.



Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    14 jun, 2021 Funchal 12:07
    Um julgamento para dar em...nada.
  • estevesayres
    14 jun, 2021 Viseu 11:07
    Como se a justiça deste país existisse antes e depois do 25 de abril… Numa sociedade podre e corrupta, como é a nossa …

Destaques V+