Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Reunião Infarmed

Concelho de Lisboa teve "três vezes mais casos" do que o esperado

28 mai, 2021 - 12:53 • Hélio Carvalho

Lisboa é um dos focos que mais preocupa os especialistas, mas a gravidade ainda não é acentuada. Os focos na cidade crescem nas freguesias mais afastados do centro e espalham-se para concelhos limítrofes, enquanto que algumas freguesias no centro já começar a descer.

A+ / A-

Veja também:


O concelho de Lisboa preocupa os especialistas de saúde pública, mas o aumento da incidência parece circunscrito ao concelho e não ao resto da região de Lisboa e Vale do Tejo.

Segundo Carla Nunes, diretora da Escola Nacional de Saúde Pública e uma das especialistas presentes na reunião desta sexta-feira no Infarmed, o concelho de Lisboa teve 3,28 vezes mais casos observados do que o esperado, tendo em conta o panorama nacional, durante a últimas três semanas.

Lisboa é um dos "clusters" que causam maior apreensão, assim como os "clusters" na Golegã e em Salvaterra de Magos/Cartaxo. Estas são, segundo Carla Nunes, "áreas críticas" com situações mais graves, mesmo que essa gravidade não seja acentuada.

Relativamente à situação epidemiológica, o concelho de Lisboa é dos poucos concelhos entre março e o dia 25 de maio a registar uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes.

No mesmo período, toda a região de Lisboa e Vale do Tejo apresenta um “crescimento da incidência por ser uma zona de grande densidade e movimentos pendulares intensos”, diz André Peralta Santos, da Direção-Geral da Saúde.

Assim, explicam os especialistas, os novos casos concentram-se sobretudo no centro do concelho e em freguesias limítrofes de outros concelhos à volta da cidade.

“As freguesias contíguas apresentam incidências superiores a 120 casos”, disse André Peralta Santos, que acrescenta “o crescimento está a dispersar-se ao longo das freguesias mais periféricas”, apesar de algumas freguesias no centro de Lisboa terem "uma tendência de descida”.

No Conselho de Ministros de quinta-feira, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, apresentou as alterações ao mapa do desconfinamento e foi anunciado que o concelho de Lisboa estava agora em situação de alerta e sob risco de regredir no plano.

Mariana Vieira da Silva disse que a região de Lisboa e Vale do Tejo “tem níveis de incidência crescentes” e que os números “são motivo de preocupação” para as autoridades de saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+