Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

Vacinação "uniforme e equitativa". Coordenador da "task force" nega diferença de tratamento entre regiões

26 mai, 2021 - 10:07 • Vítor Mesquita , Sofia Freitas Moreira

"Eu posso afirmar que todo o território nacional é tratado de forma uniforme e equitativa pela task force”, reforça Gouveia e Melo. Regiões com maiores densidades populacionais estão mais atrasadas e vão receber maior reforço na vacinação contra a Covid-19.

A+ / A-

Veja também:


O coordenador da "task force" da vacinação em Portugal garante que não há qualquer diferença de tratamento entre regiões. O vice-almirante Gouveia e Melo diz que a vacinação contra a Covid-19 vai ser reforçada em Lisboa, mas também no Norte do país.

Em declarações à Renascença, esta quarta-feira, sublinha que vai haver um reforço mais acentuado nas regiões com densidades populacionais mais elevadas, onde os processos estão mais atrasados.

Referindo-se às declarações a terça-feira, o coordenador da "task force" diz que o secretário de Estado da Saúde mencionou o reforço da vacinação na região de Lisboa, porque “estava a referir-se a Lisboa e aos seus problemas”.

“Julgo que o senhor secretário de Estado não disse que ia haver qualquer favorecimento. Posso afirmar que todo o território nacional é tratado de forma uniforme e equitativa pela 'task force'”, reforçou, considerando que Lacerda Sales foi mal interpretado.

O vice-almirante refere que algumas das zonas com maior atraso na vacinação são Lisboa e a região Norte, locais onde o reforço vai ser mais concentrado. “Regiões mais populosas estão mais atrasadas do que regiões menos populosas. Para dar o exemplo, o Alentejo já tem 40% da população vacinada e Lisboa tem 31%.”

Nestas declarações, esclarece ainda que os maiores de 40 anos começam a ser vacinados a 6 de junho e os maiores de 30 anos, a 20 de junho, datas indicativas e planeadas para todo o país.

Desde que se iniciou a vacinação contra a Covid-19, a 27 de dezembro de 2020, Portugal já recebeu 5.728.470 vacinas, tendo sido distribuídas pelos postos de vacinação do território continental e pelas regiões autónomas 5.126.418 doses.

Em Portugal, morreram 17.021 pessoas dos 845.840 casos de infeção confirmados, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Susana Abrantes
    26 mai, 2021 Vendas Novas 10:00
    Porque deixou de se falar da população que tem entre 50 e 55 anos ? Até aqui as vacinas eram para maiores de 55 anos, agora passam a ser para maiores de 40 e maiores de 30, alguém pode explicar, pf?

Destaques V+