32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

A+ / A-

Covid-19. Câmara de Lisboa prolonga apoios a fundo perdido até 30 de junho

05 abr, 2021 - 15:53 • Lusa

Presidente da Câmara revela que já foram apoiadas cerca de quatro mil entidades, sobretudo das áreas da restauração e comércio, no valor total de 23 milhões de euros.

A+ / A-

Veja também:


A Câmara de Lisboa apoiou a fundo perdido cerca de quatro mil entidades, sobretudo das áreas da restauração e comércio, no valor total de 23 milhões de euros, e prolongou os apoios até 30 de junho, foi anunciado esta segunda-feira.

"Neste momento já foram apoiadas mais de quatro mil entidades só na cidade de Lisboa, num valor total de apoio de 23 milhões de euros. Um apoio que chegou a tempo e horas, no momento em que era preciso e que nós prolongámos agora até 30 de junho, para caso venha a ser preciso ele estar ao dispor da restauração e do comércio", afirmou o presidente da autarquia.

Fernando Medina (PS) falava aos jornalistas no Parque das Nações, numa visita a alguns restaurantes, no dia em que as esplanadas puderam reabrir no âmbito da segunda fase de desconfinamento.

Questionado sobre se espera que o processo de desconfinamento prossiga em 19 de abril, o presidente da Câmara anuiu.

"É essa a nossa esperança, é a nossa expectativa, que tudo corra bem, que tudo corra em segurança. Que consigamos manter os números baixos para que esta não seja uma abertura que dê um fecho a seguir", salientou.

Referindo que fez questão de visitar alguns restaurantes para dar uma "palavra de força, de incentivo", num momento que "é importante para milhares e milhares" de negócios, Medina assegurou também que continuará "próximo" dos comerciantes e empresários da restauração da cidade.

"Esta é uma palavra muito importante neste momento, num momento obviamente de dúvida se conseguiremos aguentar este processo de desconfinamento até ao verão. Tenho confiança que sim, mas estaremos cá em qualquer circunstância para apoiar este setor tão importante", reforçou Fernando Medina.

Além das quatro mil entidades a quem a Câmara já apoiou a fundo perdido, o presidente da autarquia adiantou que o município recebeu um total de "cinco mil candidaturas", que orçam "cerca de 26 milhões" de euros.

Fernando Medina anunciou no final do ano passado apoios a fundo perdido para as empresas, com uma verba disponível de 20 milhões de euros, tendo depois, em janeiro, anunciado mais 20 milhões, destinados a entidades que antes não eram abrangidas.

Há, assim, verba disponível para continuar a apoiar estes empresários e foi por isso que a Câmara de Lisboa decidiu prorrogar o prazo de candidaturas, notou o presidente da autarquia.

De acordo com Medina, o setor mais apoiado é o da restauração, seguindo-se o do comércio.

Os beneficiários têm de registar uma quebra de faturação superior a 25% nos três primeiros trimestres do ano passado ou na totalidade dos trimestres, em relação ao período homólogo de 2019.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.853.908 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.885 pessoas dos 823.494 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+