Tempo
|
A+ / A-

Marcelo visita cuidador informal sem acesso a apoios de projeto-piloto

03 abr, 2021 - 14:37 • Marta Grosso

A pandemia multiplicou o número de cuidadores informais e nem todas as famílias estão abrangidas pelo projeto-piloto aprovados em 2020.

A+ / A-
Marcelo regressa aos afetos e às selfies (à distância) em lar de Lisboa
Marcelo regressa aos afetos e às selfies (à distância) em lar de Lisboa

O Presidente da República visitou, neste sábado, um cuidador informal de Lisboa. Mário Caxias cuida da esposa, mas está excluído dos projetos-piloto lançados pelo Governo no ano passado por residir fora dos 30 concelhos abrangidos.

A família não pode, por isso, aceder aos apoios previstos, como o subsídio e o direito ao descanso do cuidador.

Marcelo Rebelo de Sousa fez-se acompanhar da presidente da Associação Nacional de Cuidadores Informais (ANCI), Sílvia Alves, e de uma equipa do projeto “Famílias Seguras”, desenvolvido em parceria pela ANCI e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, para rastreio à Covid-19 aos cuidadores informais e pessoas cuidadas.

Durante a visita, ouviu várias preocupações de quem tem de abdicar de muito da sua vida para tratar de um familiar e que se agravaram com a pandemia de Covid-19.


De acordo com dados divulgados pela ANCI em fevereiro, o número de cuidadores informais em Portugal aumentou de 857 mil para cerca de 1,5 milhões desde o início da pandemia sendo que 240 mil são cuidadores a tempo inteiro.

Numa audição no Parlamento, Liliana Gonçalves, da ANCI, referiu ainda que, dos 30 milhões de euros orçamentados para os projetos-piloto apenas 300 mil tinham sido executados – “ou seja, 1%”, afirmou.

“Pelo que nos foi dado a conhecer [pela Segurança Social], cerca de 30.500 pessoas pediram o reconhecimento do estatuto, mas apenas foram diferidos 1.131 pedidos, 890 fora e 410 nos concelhos piloto. E só 205 com direito a subsídio. Se pensarmos que o universo antes da pandemia se situa em 857 mil cuidadores, vemos que estamos longe de alcançar o objetivo de transformar o estatuto numa lei para todos”, alertou.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Dolores cardos
    13 jun, 2021 Quinta Do Anjo 11:55
    Quando e que o projeto piloto abrange setubal pois precisamos do apoio pois sou cuidadora a 3 anos e sem receber ndada e tomo conta a tempo inteiro uma doente acamada. Simplesmente e minha mae

Destaques V+