Tempo
|
A+ / A-

StayAway Covid: Gerados 12 mil códigos de novos casos de Covid-19

19 jan, 2021 - 17:27 • Lusa

INESC TEC faz balanço de quatro meses de funcionamento da aplicação.

A+ / A-

Veja também:


Em quatro meses de funcionamento da aplicação para telemóvel Stayaway Covid foram gerados mais de 12 mil códigos de casos positivos ao SARS-CoV-2 num universo de mais 500 mil novas infeções registadas no país.

Em resposta à agência Lusa, o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) avançou que desde o lançamento da aplicação, a 1 de setembro, foram gerados e inseridos na aplicação mais de 12 mil códigos referentes a utilizadores que testaram positivo ao novo coronavírus.

Um total de 12.050 códigos foram gerados pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) e 2.804 inseridos por utilizadores.

Nos quatro meses de funcionamento da aplicação, foram contabilizadas mais 508.715 novas infeções pelo SARS-CoV-2 em Portugal, sendo que aquando do lançamento da Stayaway Covid o país registava 58.243 casos positivos.

A aplicação conta, até ao momento, com 2.970.708 'downloads' dos sistemas operativos da Google, Apple e Huawei.

O instituto do Porto estima que 40% das aplicações estão ativas.

A aplicação móvel permite rastrear de forma rápida e anónima, através da proximidade física entre smartphones, as redes de contágio por covid-19, informando os utilizadores que estiveram, nos últimos 14 dias, no mesmo espaço de alguém infetado com o novo coronavírus.

No dia do lançamento da aplicação, o primeiro-ministro, António Costa, considerou que instalar nos telemóveis a aplicação Stayaway Covid era um "dever cívico" para travar a pandemia enquanto não existisse uma vacina.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.041.289 mortos resultantes de mais de 95,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.246 pessoas dos 566.958 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

[notícia corrigida - gerados mais de 12 mil códigos e não 14 mil, como inicialmente foi referido]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+