A+ / A-

Eurosondagem

Maioria dos portugueses quer mudar sistema eleitoral e eleger o seu deputado

30 dez, 2020 - 21:50 • Lusa

Questionados num estudo da Eurosondagem sobre o sistema eleitoral proporcional, com círculos eleitorais distritais, 60,3% dos inquiridos responderam que não concordam e 17,2% disseram ter dúvidas ou não saber/querer responder.

A+ / A-

Mais de metade dos portugueses discorda do sistema eleitoral vigente e gostaria de o mudar para poder eleger o seu deputado à Assembleia da República, revela um estudo da Eurosondagem para a SEDES a que a Lusa teve acesso esta quarta-feira.

Questionados sobre o sistema eleitoral proporcional, com círculos eleitorais distritais, 60,3% dos inquiridos responderam que não concordam, 22,5% mostraram-se de acordo e 17,2% disseram ter dúvidas ou não saber/querer responder.

A sondagem elaborada para a SEDES - Associação para o Desenvolvimento Económico e Social revela que quase dois terços dos entrevistados (65,2%) gostariam de poder eleger o seu deputado através de um sistema maioritário, contra 20%. À possibilidade de escolha do deputado, 14,8% disse ter dúvidas, não saber/querer responder.

Quando questionados sobre "o melhor sistema para eleger a Assembleia da República", 47,2% disseram preferir um "sistema misto", em que uma parte dos deputados são eleitos em sistema maioritário e outra parte em sistema proporcional, para defender os partidos com menos eleitores.

Só 16,9% dos inquiridos afirmaram preferir o sistema atual, 25% prefere um sistema maioritário e 10,2% tem dúvidas, não sabe/quer responder.

O estudo da Eurosondagem foi realizado entre 18 e 20 deste mês através de 1.033 entrevistas telefónicas validadas para fixos e móveis e tem um erro máximo de 3,05% para um grau de probabilidade de 95%.

A SEDES, atualmente presidida pelo médico socialista Álvaro Beleza, é uma das mais antigas associações do país, tendo comemorado em novembro o seu 50.º aniversário.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+