Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Bastonário. Médicos não recusaram tratar doentes em Reguengos

24 ago, 2020 - 14:00 • Lusa

Questionado pelos jornalistas sobre o pequeno vídeo, de sete segundos, que circula nas redes sociais, e que mostra António Costa numa conversa privada com jornalistas alegadamente chamando “cobardes” aos médicos envolvidos no caso do surto de covid-19 em Reguengos de Monsaraz, Miguel Guimarães afirmou que as declarações foram “infelizes”.

A+ / A-

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, assegura que não houve “nenhuma recusa” por parte dos médicos de família do centro de saúde para tratar os doentes com covid-19 em Reguengos de Monsaraz.

“Não houve recusa dos médicos que estavam no centro de saúde, isso tem de ficar claro. Os médicos de família protestaram e, alguns de forma veemente e bem, porque não tinham as condições adequadas para tratar daqueles idosos”, afirmou o bastonário.

Miguel Guimarães, que falava aos jornalistas depois de uma reunião com o presidente da União das Misericórdias Portuguesas, no Porto, adiantou ainda que a auditoria feita pela Ordem dos Médicos surto de covid-19 num lar de Reguengos de Monsaraz, que matou 18 pessoas, foi legal e autorizada pelo Ministério Público.

“Não quero continuar a alimentar essa polémica, a auditoria foi legal, foi aceite pelo Ministério Público e pela Ordem dos Advogados”, garantiu.

Questionado pelos jornalistas sobre o pequeno vídeo, de sete segundos, que circula nas redes sociais, e que mostra António Costa numa conversa privada com jornalistas alegadamente chamando “cobardes” aos médicos envolvidos no caso do surto de covid-19 em Reguengos de Monsaraz, Miguel Guimarães afirmou que as declarações foram “infelizes”.

“As declarações do senhor primeiro-ministro foram infelizes (…) estas declarações de alguma forma ofenderam os médicos”, referiu.

O bastonário salientou ainda que na sequência dos últimos acontecimentos, a Comissão Permanente do Conselho Nacional da Ordem dos Médicos decidiu convocar o Fórum Médico, cuja reunião decorre desde as 13:00, e pediu uma audiência urgente com o primeiro-ministro cujo objetivo é “conversar, explicar o porquê da auditoria e ouvir” a ordem.

“Temos de remar todos no mesmo sentido e estar unidos para que a resposta na área da saúde possa garantir os melhores cuidados de saúde a todos os portugueses e, por outro lado, a resposta na saúde possa garantir que o crescimento da economia vai acontecer como o Governo está à espera”, afirmou.

À Lusa, fonte do gabinete de António Costa confirmou entretanto que o primeiro-ministro se vai reunir com a Ordem dos Médicos na terça-feira de manhã.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    24 ago, 2020 Ílhavo 20:19
    E, no Barreiro, também não?
  • lv
    24 ago, 2020 lx 14:53
    sr Bestanário, não ouvi dizer...ouvi ,o bestanário a apoiar os médicos que se recusaram a prestar assistência.Se a hipocrisia mata-se, o bestanário era um defunto!

Destaques V+