Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Lula da Silva preside 63.ª Cimeira de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados

07 dez, 2023 - 04:26

O acordo UE-Mercosul abrangerá os 27 Estados-membros da UE mais Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, o equivalente a 25% da economia global e 780 milhões de pessoas, quase 10% da população mundial.

A+ / A-

O Presidente brasileiro, Lula da Silva, preside, esta quinta-feira, no Rio de janeiro, à 63.ª Cimeira de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados, na qual havia a expectativa da aprovação do acordo comercial com a União Europeia.

Quarta-feira, na reunião dos ministros de Estado do Mercosul, preparatória da Cimeira, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, salientou a "dimensão estratégica inequívoca" do acordo, referindo o que considerou importantes avanços nas negociações com a União Europeia, sem referir que será difícil chegar a um entendimento este ano, conforme desejava o Governo brasileiro.

"O acordo será um ponto de inflexão não apenas na relação birregional como também na dinâmica económica das duas regiões. Estamos lançando as bases de uma integração de cadeias produtivas nos dois lados, e nos dois sentidos. Há ganhos a serem obtidos pelas economias do Mercosul no mercado europeu, tanto para ampliar as exportações, como também para aquisição de tecnologias que deverão aprimorar a nossa competitividade", declarou.

O acordo UE-Mercosul abrangerá os 27 Estados-membros da UE mais Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, o equivalente a 25% da economia global e 780 milhões de pessoas, quase 10% da população mundial.

O Brasil deixa, esta quinta-feira, a presidência rotativa do bloco sul-americano, que passa a ser detida pelo Paraguai.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+