Tempo
|
A+ / A-

Sismo no Afeganistão. Talibãs confirmam mais de 2 mil mortos e 9 mil feridos

08 out, 2023 - 09:03 • Reuters

Os corpos estão a ser "levados para vários locais, como bases militares e hospitais", adianta fonte do departamento de saúde de Herat.

A+ / A-

Os poderosos sismos que atingiram o Afeganistão no sábado terão provocado mais de dois mil mortos e mais de 9 mil feridos, adiantou a administração talibã este domingo, naqueles que foram uns dos mais poderosos abalos a atingir o país montanhoso nos últimos anos.

Por entre a confusão, o balanço vai sendo atualizado de hora para hora, tendo subido de 500 vítimas mortais confirmadas durante a madrugada por um porta-voz do Crescente Vermelho e de 120 mortos noticiados no sábado.

Os sismos, um deles de 6,3 graus de magnitude na escala de Richter, foram registados 35 quilómetros a noroeste da cidade de Herat, adiantou o Serviço Geológico dos EUA (USGS).

Mullah Janan Sayeeq, porta-voz do Ministério dos Desastres na administração talibã, disse à Reuters que morreram 2.053 pessoas e que há 9.240 feridos confirmados, para além de 1.329 casas destruídas ou danificadas pelos abalos.

Mais de 200 mortos foram transportados para diferentes hospitais, adiantou uma fonte do departamento de saúde de Herat à Reuters, adiantando que a maioria das vítimas são mulheres e crianças.

Os corpos estão a ser "levados para vários locais, como bases militares e hospitais", adiantou a mesma fonte.

Os tremores de terra causaram o pânico em Herat, como relatava uma residente da cidade numa mensagem de texto enviada à Reuters no sábado.

"As pessoas deixaram as suas casas, estamos todos nas ruas", relatou Naseema, adiantando que a cidade continuava a sentir várias réplicas dos sismos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+