Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Hungria mantém veto ao acordo de cereais da Ucrânia

15 set, 2023 - 16:01 • Lusa

Prazo do veto termina hoje sendo que quatro países da região - Hungria, Eslováquia, Polónia e Roménia - já adiantaram que vão manter a proibição.

A+ / A-

A Hungria vai manter o veto à importação de cereais ucranianos, apesar do que considera "propaganda mentirosa" de Bruxelas e de Kiev, para defender os seus agricultores, afirmou esta sexta-feira o ministro húngaro dos Negócios Estrangeiros.

"Não vamos deixar que arruínem os agricultores húngaros e sobre isto não nos vai impedir nem a propaganda de Bruxelas (União Europeia) nem a de Kiev", disse Peter Szijjarto, acrescentando que a abertura das fronteiras aos cereais da Ucrânia foi decidida inicialmente para que os produtos agrícolas fossem conduzidos para o continente africano.

O objetivo não era "inundar" os países do centro da Europa com trigo e outros cereais ucranianos, disse o chefe da diplomacia de Budapeste.

Peter Szijjarto não especificou a que "mentiras de Bruxelas e Kiev" se estava a referir.

Os países que fazem fronteira com a Ucrânia alcançaram em maio de 2022 a um acordo com a Comissão Europeia no sentido de proibir a importação de cereais ucranianos livre de taxas alfandegárias, cujos preços prejudicavam a produção dos agricultores locais.

O prazo do veto termina hoje sendo que quatro países da região - Hungria, Eslováquia, Polónia e Roménia - já adiantaram que vão manter a proibição.

A Bulgária anunciou que vai renunciar as restrições à importação dos produtos ucranianos.

Szijjarto especificou que as medidas de Budapeste não se referem ao trânsito de produtos ucranianos através da Hungria.

Hoje, o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, também afirmou que o país pretende prolongar o veto sobre os produtos ucranianos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Digo
    16 set, 2023 Eu 09:52
    Quando é que o Ocidente se apercebe que a Hungria é um peão de Moscovo, apesar de "mamar" da UE e da NATO, e começa a atuar em conformidade, se necessário, até a expulsar a Hungria ?

Destaques V+